A prevenção é a maneira mais eficaz de se manter longe dos problemas de saúde. Avaliar as condições da visão anualmente para mantê-la no melhor índice e garantir plena produtividade é uma boa providência a ser tomada. A dica é do oftalmologista Canrobert Oliveira, do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB). Ele orienta sobre o que avaliar na visão nas diferentes fases da vida.

Na infância, a visão, como o restante do organismo, sofre alterações ao longo do tempo e deve ser acompanhada desde o berçário. A primeira avaliação deve ocorrer ainda na maternidade, com o teste do olhinho. Trata-se de um exame rápido em que o pediatra observa a visão do bebê através do feixe de luz emitido pelo oftalmoscópio refletido na retina. Antes de completar um ano, a criança deve visitar o oftalmologista para ver se está com todas as condições para desenvolver sua visão com qualidade, uma vez que o olho humano completa o desenvolvimento funcional definitivo em torno de seis ou sete anos de idade. A partir daí, como é pelos olhos que o ser humano recebe cerca de 90% das informações, o ideal é visitar o oftalmologista anualmente, orienta o médico.

Sintomas
Ao chegar à pré-adolescência e antes da fase adulta, entre os 13 e os 20 anos de idade, as pessoas estão mais sujeitas ao aparecimento de irregularidades visuais como o ceratocone, que acomete uma a cada duas mil pessoas. “O ceratocone é uma irregularidade não inflamatória, às vezes estimulada pelo hábito de coçar os olhos em excesso, levando a córnea a sofrer mudanças em sua estrutura, obtendo o formato de cone”, explica.

Os sintomas do ceratocone muitas vezes não são percebidos, porque o adolescente não sente dor ou sequer lacrimeja, mas apresenta uma forte sensibilidade à luz e uma baixa qualidade de visão, mesmo utilizando óculos, ilustra Oliveira.

Na área refrativa, a miopia, a hipermetropia e o astigmatismo são frequentes nesta faixa etária. A miopia, a hipermetropia e o astigmatismo são perceptíveis quando as reclamações são em relação às dificuldades para enxergar de longe, de perto, ou quando a imagem é focada mais de uma vez na retina e a visão fica embaralhada, respectivamente.

Geralmente aos 40 anos, os textos precisam ficar mais distantes e a iluminação mais intensa. A visita ao oftalmologista, nesta fase é uma busca para eliminar as dificuldades de visão decorrentes da presbiopia, popularmente chamada de vista cansada. Além dos problemas que podem acometer a visão, qualquer outra alteração deve ser investigada pelo oftalmologista.

Publicado por: Mogi News
Em: 05/03/2011