O Programa Boa Visão, criado em 1992 pelo então prefeito Estevam Galvão (DEM), terá atendimento ampliado para adultos e crianças e adolescentes que não estejam matriculados na rede municipal de ensino, de acordo com publicação de ontem da Prefeitura de Suzano. O documento especifica que as mudanças foram aprovadas pela Câmara e já estão em vigor.

Criado para atender crianças de 3 a 7 anos das escolas municipais, o projeto prevê consultas oftalmológicas gratuitas e doação de óculos. Com a alteração da lei municipal n.º 2.634, de 15 de maio de 1992, o programa será ampliado para adolescentes de escolas municipais, do Serviço Social da Indústria (Sesi) ou que residam em Suzano. O projeto contemplará ainda adultos que comprovem moradia no município. Até o momento, o atendimento era destinado a munícipes acima de 50 anos.

Segundo a publicação, o serviço será prestado para crianças e adolescentes que estudam em escolas municipais selecionados “por intermédio de testagens de acuidade visual, e aos adultos, inscritos no programa, aviando suas receitas de óculos e assegurando tratamento médico aos casos especiais detectados”. Conforme apurou o DAT, no caso dos moradores acima de 50 anos, é necessário apresentar receita de um oftalmologista.

O atendimento de crianças e adolescentes que não estejam matriculados na rede municipal e estadual e de adultos da cidade “será feito mediante parecer técnico sócio-econômico”. Os interessados devem procurar o serviço nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 23/03/2011
Por:  Cibelli Marthos