Com uma dívida calculada em R$ 800 mil com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Suzano poderá fechar as portas. De acordo com o presidente da entidade, João Jurandir Simões Junior, as atividades ficarão suspensas por 15 dias a partir desta segunda-feira. Neste período, a diretoria tentará negociar a dívida e procurar parceiros para resolver a situação da unidade. Atualmente 180 jovens são atendidos pela Apae.

Segundo Simões, uma série de fatores levou a instituição a acumular uma dívida tão grande nos últimos anos. “Aconteceram uma sequência de fatos. Tem o motivo que levou a Apae até a intervenção, a própria intervenção que não foi bem conduzida nos últimos 16 anos. Quando começou, a divida era pagável, mas agora está em torno de R$ 800 mil”, comentou. “Por isso vamos entrar com algumas ações judiciais para ver se conseguimos um abatimento ou acordo do valor. Nós assumimos a diretoria em janeiro deste ano já com esta situação”.

Nesta segunda-feira a diretoria se reunirá às 10 horas para explicar a situação aos funcionários e usuários da Apae. “Nós estamos com os salários atrasados em dois meses. O convênio que tínhamos com a Prefeitura terminou em 23 de fevereiro e não conseguimos renovar”, revelou Simões. “A legislação determina que para a Prefeitura firmar qualquer convenio, a entidade beneficiada tem que apresentar uma série de documentos, como a certidão negativa de débito com o INSS, mas nós não temos esta documentação, e por isso o convênio não pode ser renovado”.

Questionado sobre as medidas que adotaria para tentar, resolver a situação, o presidente revelou que espera contar com a ajuda da comunidade. “O primeiro passo será negociar a dívida, tentar abater parte do valor e quitar o restante”, afirmou. “Mas nós ainda não sabemos como a dívida chegou a este ponto. Então, se tiver advogados, contadores, pessoas que possam doar seu tempo para nos ajudar seria necessário. Existe um grande risco de termos que fechar as portas, então temos que buscar soluções e responsabilizar os culpados”.

Intervenção
O DS procurou a ex-administradora da Apae, Wilma Valente Oliveira, para solicitar informações, mas ela não retornou às ligações até o fechamento desta edição.Segundo Simões, a diretoria da Apae recebeu ontem assessores do deputado estadual Estevam Galvão (DEM), que teria se comprometido a ajudar. “Ele se propôs a marcar uma audiência com o procurador do INSS e colocou à disposição advogados de sua assessoria. Se mostrou interessado em levantar o total ou parte do dinheiro. Vai fazer uma campanha para solicitar recursos junto ao Lions Clube, Rotary Club e Maçonaria”

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 09/04/2011