A unidade do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Ferraz de Vasconcelos será entregue em junho. A confirmação foi feita na manhã de ontem pelo diretor regional da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp-Ciesp), Milton Sobrosa, durante evento em que anunciou um suporte de R$ 109 milhões em investimentos para nove novas unidades do Sesi no Alto Tietê.

O de Ferraz foi construído no Jardim Yara e atenderá 1,4 mil alunos. Mil deles correspondem à demanda atual nos ensinos médio e fundamental. O restante é de alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). A obra teve início no ano passado e a expectativa inicial era de entrega no final de 2010.

O investimento na obra é de R$ 18 milhões. A área possui 15 mil metros quadrados. O Sesi de Ferraz será o primeiro da região a contar com o novo modelo de educação em período integral. Além disso, será também a primeira unidade a ter o novo projeto arquitetônico do sistema. “Nós vamos dobrar o número de salas na região com o novo modelo de ensino. Cada uma delas tem um prazo definido e a mais avançada é a de Ferraz, cuja entrega acontecerá em junho”, afirmou Sobrosa.

Ainda de acordo com Sobrosa, Ferraz foi a cidade mais beneficiada com o novo sistema de ensino. “Ferraz foi beneficiada porque ela foi anterior. Não pegou a metodologia de adequação de todas as escolas de período integral. Mas sim a adequação de unidades que estão em situação desprivilegiadas. Por conta disso, se lançou de alguns benefícios, como o dobro de salas. Isso não seria possível agora porque o plano é para atender a demanda já existente. Hoje, se a escola tem 500 alunos, vamos construir uma unidade nova para 500 alunos”, completou.

De todas as unidades que vão ser construídas na região, a de Ferraz de Vasconcelos é a única que terá novas salas e consequentemente novos alunos.

Atrasos
A obra será entregue com pelo menos seis meses de atraso em relação ao prazo inicial. Problemas no solo e na qualidade do material utilizado em parte da obra motivaram parte do atraso. Durante a obra foi necessária a substituição de parte do solo e parte do muro de arrimo que não atendia o padrão de qualidade exigido pelo Sesi.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 09/04/2011
Por: Willian Almeida