Archive for abril 20, 2011


O destaque da coluna “Por dentro do Brasil” de hoje é a divulgação dos dados do 2º Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil: 2009-2010, divulgado ontem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) pelos principais jornais do país. O estudo comprova que há ainda muito o que fazer em termos de políticas públicas de equiparação de negros e pardos. Dos 6,8 milhões de analfabetos existentes no país, mais de 70% é composto de negros e pardos.

Outra notícia interessante publicada na Folha de S.Paulo mostra que a aplicação da vacina contra o rotavírus contribuiu para diminuir em 22%, a mortalidade por diarréia em crianças de até 5 anos em algumas regiões do País.Estes e outros assuntos estão no rodapé deste blog.

Passados 13 dias do massacre de 12 alunos em uma escola do Rio de Janeiro, a equipe de reportagem do DAT visitou 12 unidades das redes municipal e estadual do Alto Tietê e conseguiu entrar em cinco delas sem a permissão de qualquer funcionário. A situação identificada denuncia a vulnerabilidade no sistema de segurança e no controle de entrada de visitantes nas instituições. As unidades de Poá e Itaquá apresentaram os maiores problemas, já que foi possível acessar até mesmo as salas de aula e pátios internos.

Na Escola Estadual Dulce Maria Sampaio, no Parque Marengo, em Itaquá, apesar de existirem uma secretaria e um portão com trava elétrica, a equipe entrou sem receber nenhum questionamento por parte dos funcionários e percorreu os três pavimento da unidade. A presença do DAT só foi percebida depois de dez minutos, quando a própria equipe se identificou.

Na Escola Estadual Domingos de Milano, na Vila Odete, é necessário se identificar para seguir até as salas de aulas, mas um portão lateral permitia o acesso até as quadras. A equipe tentou acessar as demais dependências da escola, mas foi abordada por funcionários. O DAT tentou entrar na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Charles Henry Tyler Townsend, mas um funcionário faz a triagem dos visitantes no portão de entrada.

Em Poá, a reportagem entrou nas escolas estaduais Professora Ivone da Silva de Oliveira, na Vila Áurea, e Padre Simon Switzar, na região central. Na primeira escola, onde o portão estava aberto, a equipe também só foi percebida após se identificar. Uma funcionária informou que, por se tratar de horário de entrada e saída de alunos e professores, o portão ficou aberto para circulação dos veículos. Na segunda instituição, a inspetora de alunos que permanece na entrada não percebeu o acesso da equipe, que circulou por todos os corredores e saiu sem ser notada. A Escola Estadual Bertha Corrêa, também no centro, possibilita a entrada de qualquer pessoa somente até a quadra esportiva, que estava repleta de crianças na manhã de ontem.

O DAT tentou entrar em duas escolas municipais de educação infantil e duas escolas estaduais de Suzano, mas em todas a equipe foi barrada na secretaria. Durante as visitas, foi possível identificar maior eficiência no sistema de segurança utilizado nas escolas municipais, em especial nas unidades que recebem bebês e alunos da educação básica. Em Ferraz, a equipe visitou a Escola Estadual Vila Corrêa II e não conseguiu ter acesso as salas de aula, mas circulou pelas áreas externas em torno do prédio.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Por: Cibelli Marthos
Em: 20/04/2011

O Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) recebe, em média, 3.500 ligações por dia do Alto Tietê. Destes chamados, pelo menos 60% são trotes. A polícia quer diminuir esses números, já que o trabalho de atendimento à população fica prejudicado devido aos falsos chamados, que na maioria são feitos por crianças e adolescentes com idade entre 10 e 15 anos.

Para se ter uma ideia do problema, em 21 de janeiro deste ano, o Copom atendeu 134 ligações em uma hora, mas 108 eram trotes, ou seja, 80% delas. “Imagine o prejuízo à população. Uma pessoa precisa denunciar um crime e a polícia está em uma ligação destas. É uma dificuldade”, explicou a segundo tenente feminina Brenda, que mostrou como funciona o Copom ontem de manhã, ao lado do primeiro tenente Marco Aurélio, responsável pelo setor operacional.

Marco Aurélio ressaltou os horários em que mais ocorrem os trotes. “Normalmente, por volta do meio dia e no final da tarde, horário em que os jovens saem das escolas e também aos feriados, quando eles ficam em casa. Os trotes em geral são denúncias falsas sobre sequestros, acidentes e assaltos”.

Brenda lembrou que o treinamento dos policiais que trabalham no Copom é essencial para diminuir o prejuízo. “Todos passam por um curso e sabem diagnosticar rapidamente quando se trata de um trote. Existe uma triagem que é feita antes de acionarmos uma viatura. Mas só esse tempo gasto já é suficiente para atrapalhar o serviço”, lembrou.

O Copom possui atualmente 80 funcionários. A central, que atende quase toda a região (Santa Isabel e Arujá fazem parte do Copom de Guarulhos), mantém seis linhas disponíveis para o atendimento.

Sobre as principais denúncias atendidas na central, está o furto e roubo de veículos e residências. “No caso dos furtos é mais difícil a PM localizar o autor, mas nos roubos temos obtido muito sucesso, já que o crime ocorreu em poucos minutos e dá tempo da viatura chegar rápido ao local”, comentou Marco Aurélio.

Campanha
O Comando de Operações da Polícia Militar (Copom), do Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPA/M-12) está à procura de parcerias para imprimir folders educativos. A intenção é distribuir materiais que expliquem sobre a importância do atendimento via 190 e como os trotes, geralmente aplicados por crianças e adolescentes, podem prejudicar no atendimento de ocorrências reais. Os interessados em colaborar com essa causa podem entrar em contato com o CPA/M-12 pelo telefone 4799-7000.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Por: Leandro Dilon e Deize Batinga
Em: 19/04/2011


O Comando do Patrulhamento de Área Metropolitano de Mogi das Cruzes (CPA/M-12) deverá divulgar nos próximos dias o resultado da campanha realizada ontem, Dia do Desarmamento Infantil, para o recolhimento de armas de brinquedo e conscientização de crianças e adultos sobre os riscos de se manter uma arma de fogo em casa.

O evento, que contou como o apoio do Grupo Mogi News, foi realizado durante todo o dia na entrada do CPA/M-12, na área central da cidade, e foi bem recebido por motoristas e pedestres que passaram pelo local. Policiais militares temporários e representantes do Grupo Mogi News utilizaram fantasias e distribuíram folhetos, balões de ar e doces para sensibilizar a população. As crianças que levaram as armas de brinquedo receberam em troca gibis e outros materiais de leitura.

A dona de casa Bruna Alves Garcia elogiou a iniciativa do comando da PM e do Grupo Mogi News: “É pelas crianças que devemos começar o processo de conscientização, elas aprendem com mais facilidade”, comentou Bruna, que estava caminhando em direção ao centro com o filho Luiz Alves da Costa.

O estudante Fernando Aguiar, de oito anos, acompanhou a equipe do jornal e aproveitou para conhecer o projeto. Ele folheou gibis e conferiu algumas armas deixadas no local logo pela manhã: “O melhor é ler os gibis, mas acho que isso (entrega da armas) é bom para todos”, argumentou.

O coronel Antônio Carlos Imperatriz, comandante do CPA/M de Mogi aprovou a movimentação diante da sede da Policia Militar na cidade: “Em 25 anos de trabalho, essa é a primeira vez que vejo toda essa agitação diante de um comando de área. Mas essa é uma bagunça organizada que vale a pena. Estamos incentivando o desarmamento infantil o promovendo a conscientização nas crianças e adultos”, destacou oficial que responde pelo policiamento preventivo e ostensivo em todo o Alto Tietê.

Publicado no: Diário do Alto Tietê
Em: 16/04/2011
Por: Bras Santos

%d blogueiros gostam disto: