Pela terceira vez neste ano, os moradores do Jardim Camila reclamam das condições de conservação da chamada praça Água Verde, mantida pela Prefeitura de Mogi. Os problemas apontados são os mesmos: brinquedos quebrados, falta de manutenção nas quadras de esporte, muros e paredes pichadas, falta de segurança e abandono. Da lista de reclamações feitas pelos moradores da região, apenas o problema de mato alto foi resolvido pela administração pública, que enviou equipes de limpeza para podar e reparar o local. No entanto, os usuários da praça afirmam que isso não basta, pois o espaço de convívio social precisa de maior atenção por parte da Prefeitura.

A primeira reclamação foi feita em fevereiro e o Mogi News mostrou a situação de abandono em que a praça se encontrava. No mesmo mês, equipes da Prefeitura foram enviadas ao local e limparam o mato. O mesmo aconteceu em meados de abril, quando a administração pública tomou a mesma atitude e os moradores voltaram a reclamar. A grama e o mato foram aparados, mas o playground continua quebrado, com brinquedos que representam mais perigo do que diversão para as crianças. A praça conta com duas quadras de esporte, um campo de futebol de areia e um de vôlei. No entanto, apenas uma das traves possui redes. A pichação toma conta dos muros da praça e das casas. A iluminação também é precária e é possível até encontrar vestígios de fogueiras feitas por jovens que vão ao local consumir drogas durante a noite.

A dona de casa Isabel Soares Barbosa, 48, costuma levar o filho Diogo, de 4 anos, para brincar na praça Água Verde. Para ela, a atitude da Prefeitura, de podar o mato, ajuda, mas não resolve o problema do abandono. “Não deixo meu filho brincar no playground, pois tenho medo de que se machuque em um dos ferros retorcidos”, disse Isabel.

Para a costureira Maria Laís Brito da Silva, 57, os R$ 111 mil investidos pela Prefeitura no trabalho de reurbanização do espaço é dinheiro jogado fora. Ela afirma que a pista de caminhada não foi terminada e que nunca houve manutenção das estruturas montadas na praça. “Além disso, não há segurança, como foi prometido. Os jovens usam drogas dia e noite”, reclamou.

O operador de produção Davi Augusto Silva, 34, mora em uma das casas que têm a saída de frente para a praça e afirma que sua única insatisfação é quanto aos brinquedos do playground. “A Prefeitura vem limpar constantemente, mas falta arrumar estes brinquedos”, apontou Silva.

Prefeitura
A Prefeitura disse, por meio de nota, que a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos realiza a manutenção de rotina da área, como a que foi feita na semana passada, e também estuda novas intervenções na praça. “Também cabe à comunidade colaborar com a manutenção do patrimônio público, mantendo-o em boas condições de uso”, diz a nota.

A pasta informou também que o trabalho de reurbanização realizado na Água Verde no ano passado abrangeu a manutenção do campo de futebol, dos alambrados e da arquibancada, além da implantação de drenagem de águas pluviais e serviços complementares de reforma.

Publicado por: Mogi News
Em: 05/05/2011
Por: Guilherme Peace