Na próxima quarta-feira, dia 18, o prefeito Marco Bertaiolli (DEM) vai assinar o decreto que obriga todas as unidades de saúde do município e a rede privada a informar a Secretaria Municipal de Saúde sobre atendimentos a crianças que tenham sofrido possíveis agressões na cidade. O documento ainda está sendo elaborado pela Prefeitura.

Segundo o prefeito, antes da implantação do Sistema Integrado de Saúde (SIS), os pais levavam os filhos com hematomas aos postos e, em casos de reincidência, a criança era levada a outra unidade para não despertar desconfiança. “Como não havia histórico, era difícil diagnosticar um possível caso de violência, porque o agressor modificava o local de atendimento. Com a integração do serviço de saúde, fica mais difícil esta prática, porque todo o atendimento é colocado no banco de dados e, se houver reincidência de machucados e lesões que possam ser sinais de maus-tratos, o médico poderá comunicar a secretaria”, explicou.

Segundo Bertaiolli, o caso será avaliado pela pasta e, se necessário, a Prefeitura comunicará a polícia e os órgãos competentes, como o Conselho Tutelar, para que intervenham nos casos. “Com relatórios anteriores e diante de uma possível nova agressão, os profissionais terão parâmetros para avaliar. Antes, isso era impossível, porque nas unidades de saúde os dados eram feitos a cada atendimento e não havia possibilidade de conferir o histórico de consultas”, comenta.

A assinatura da lei acontecerá no dia de combate ao abuso e à exploração sexual das crianças e dos adolescentes. Neste primeiro momento, o foco é o combater aos maus-tratos a crianças e adolescentes, mas não está descartado ampliar a notificação para casos de maus-tratos a idosos e mulheres. Hoje, Mogi tem 36 mil pessoas acima de 60 anos. Na Delegacia de Proteção ao Idoso, só nos três primeiros meses deste ano, foram registrados 80 casos de agressão.

Publicado por: Mogi News
Em: 11/05/2011
Por: Marcelo Pascotto