A Rede Irradiar, que atua na prevenção à violência doméstica em Itaquaquecetuba, juntamente com o projeto Plataforma Centros Urbanos, de responsabilidade do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), realizarão hoje a segunda caminhada pelo Fim da Violência Sexual Contra Crianças.

O ato terá início às 9 horas, na avenida Gonçalves Dias, no parque Marengo. A expectativa é atrair aproximadamente mil pessoas.

O objetivo é chamar a atenção da população quanto ao número de crimes registrados no ano passado na cidade, que chegou a 392 casos.

De acordo com a psicóloga e uma das organizadoras da caminhada, Maildes Ferreira de Olanda, o número de casos de crianças que são vítimas de crimes hediondos, muitas vezes praticados por membros da família, é bem maior. Porém, as ameaças feitas por criminosos e o medo impedem as vítimas de denunciar. “Acreditamos que, com a passeata, é aberta uma possibilidade para o assunto vir à tona. Já houve casos em que, após o ato, as crianças acabavam contando o que estava se passando com elas. Queremos criar um mecanismo de informação direta”, disse Maildes.

A violência doméstica, segundo ela, é praticada por alguém íntimo da criança, como parentes próximos, pai e, inclusive, a mãe. “Há casos em que a própria mãe comete tal ato, porém, na maioria dos casos, é a figura paterna. A criança violentada apresenta mudanças de comportamento. O desempenho na escola cai, ela passa a inventar mentiras, fica triste e mais chorosa. Ela acaba ficando dependente do que é certo ou errado pelo agressor e não sabe mais em quem acreditar”, avaliou a psicóloga.

A caminhada percorrerá diversas vias e terá vários pontos de encontro no Parque Marengo, tais como na avenida Veridiano de Carvalho, 390; rua Teófilo Dias, 95; avenida Érico Veríssimo, 125; avenida Ferreira de Menezes, 280; e avenida Gonçalves Dias, 350. Quem quiser participar do ato deverá ir de camiseta branca.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 18/05/2011
Por: Ariane Noronha