Hoje, a partir das 18h30, Mogi das Cruzes discute pela primeira vez as ferramentas de combate à violência contra crianças e adolescentes. O encontro será no Theatro Vasques, onde o prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (DEM) irá assinar o encaminhamento do projeto de lei ao Legislativo em que obriga a notificação compulsória dos casos de violência, comprovados ou suspeitos, praticados contra crianças e adolescentes na cidade, pelos órgãos públicos e privados de saúde e educação. Também será criado o Comitê Municipal de Investigação dos Casos de Violência.

Autoridades, representantes do setor de saúde e educação, além da sociedade civil, empresas e entidades filantrópicas, devem participar. Foram convidados Ministério Público, Juizado da Infância e Juventude, IML, Polícia Civil, Delegacias e projetos sociais. “Trata-se de uma iniciativa importante e precisamos unir forças para combater esse grave problema na sociedade”, disse o diretor-presidente do Grupo Samed, Mannie Lui.

Mogi é a primeira cidade onde o Executivo elabora uma lei que obriga a notificação de órgãos públicos e privados a ser integrada pela Internet, possibilitando a rápida divulgação e consulta de possíveis suspeitas. “Antes, o pai ou responsável levava seu filho machucado a um Posto de Saúde e, no caso de reincidência, em outra e depois em outra unidade, sem levantar qualquer suspeita. Ninguém desconfiava de nada. Com o SIS, a interligação das informações possibilita que o profissional visualize o histórico do paciente e, se houver reincidência de machucados e lesões que possam sinalizar maus-tratos, o médico poderá comunicar a Secretaria Municipal de Saúde”, explica o prefeito.

Publicado por: Mogi News
Em: 18/05/2011
Por: Jamile Santana