Conhecer as técnicas para controlar o acesso à Internet nos laboratórios de escolas de ensino fundamental e médio foi o tema da palestra “Os riscos da Internet na escola: como se prevenir”, que reuniu cerca de 30 representantes de instituições de ensino privado e público, na sede da Associação Comercial de Mogi das Cruzes.

Na manhã de ontem, o especialista em segurança na Internet, Orácio Kuradomi, falou sobre um software que filtra todas as informações a que os alunos terão acesso e exclui conteúdos inapropriados para o ambiente escolar. O evento foi promovido pelo Núcleo Setorial de Escolas Particulares que realiza também, até o dia 10 de junho, a Campanha do Desarmamento Infantil.

Segundo Renato Moretti Pereira de Faria, organizador do evento, a palestra foi importante para esclarecer muitas dúvidas dos educadores com relação ao uso correto da Internet nas escolas. “Recebemos dicas de como fazer para evitar as invasões de hackers, disseminação de vírus, além do controle de acesso dos alunos nos computadores da unidade. Muitos profissionais tinham dúvidas de como proibir o uso, então, neste ponto, foi muito esclarecedor. Até porque aprendemos também como evitar o cyberbullying, que é a prática do bullying pela Internet, que se tornou muito comum”.

Um ponto positivo da palestra foi a participação de professores e diretores de escolas públicas da rede municipal e estadual. “Ultimamente estas unidades têm participado ativamente das ações da setorial e isso é muito importante porque nos dá uma característica do papel social que temos de desempenhar”, destacou.

O palestrante Orácio Kuradomi é especialista na área de informática há 23 anos e tem uma empresa de desenvolvimento de sistemas de segurança e controle total de acessos à Internet. “Expliquei um pouco para os educadores sobre os detalhes que podem fazer a diferença e como evitar problemas sérios no ambiente escolar, como a proibição do uso das redes sociais para alunos menores de 18 anos, por exemplo”.

O especialista apresentou um programa de computador que monitora o acesso em todos os computadores da unidade escolar, filtra as todas informações que chegarão aos alunos e controla o acesso dos funcionários. “É um investimento pequeno, se comparado a otimização do trabalho com a Internet que este programa possibilita. Vale a pena conhecer”, afirmou.

Publicado por: Mogi News
Em: 18/05/2011
Por: Jamile Santana