O advogado Adriano Hisao Moyses Kawasaki vai pedir a anulação do julgamento que condenou o skinhead Juliano Aparecido de Freitas, o Dumbão, a 24 anos e seis meses de prisão pela morte de Cleiton da Silva Leite e pela tentativa de homicídio de Flávio Augusto do Nascimento Cordeiro. Para ele, a decisão dos jurados foi contrária às informações que constam no processo e ao que foi ouvido no Tribunal do Júri.

Para que Kawasaki possa entrar com o pedido de anulação do julgamento, ele precisa esperar que todos os depoimentos ouvidos no Tribunal do Júri, ocorrido na sexta-feira passada, sejam transcritos e anexados ao processo que corre pelo Fórum Distrital de Brás Cubas. “Esse processo deve levar de uma a duas semanas. Depois disso, tenho oito dias para entrar com os recursos e também pedir a anulação do júri”, informou.

Em entrevista ao Mogi News, o advogado explicou como chegou à decisão de pedir a anulação do julgamento. “Eu entendo que a decisão dos jurados foi contrária às informações dos autos, assim como algumas das qualificadoras impostas a ele, como impossibilitar a defesa da vítima e com emprego de meio cruel. Vou pedir a anulação e, se necessário, levo o caso para o Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Segundo o defensor, o resultado do julgamento podia ter sido diferente, caso as testemunhas que não foram ouvidas tivessem prestado depoimento. “Entrei no caso uma semana antes do julgamento. A antiga advogada não arrolou as testemunhas necessárias. Elas tinham sido intimadas pelo Ministério Público. Se com duas testemunhas eu consegui convencer dois jurados, tenho certeza de que se as demais fossem ouvidas o Juliano poderia até ter sido absolvido”, concluiu Kawasaki.

Outro lado
Para o advogado das vítimas, Paulo Roberto da Silva Passos, não existe nenhuma possibilidade de esse julgamento ser anulado. “O que o advogado está fazendo é tentar garantir que o cliente dele fique em liberdade por mais tempo. Basta você folhear o processo para ver que todas as provas são contra o cliente dele. Aquilo era um grupo. Os três agiram juntos e tinham a mesma intenção”, afirmou.

Publicado por: Mogi News
Em: 24/05/2011
Por: Deize Batinga