Após a Prefeitura de Suzano e a Santa Casa de Misericórdia não informarem a causa da morte de 13 recém-nascidos desde o início do ano, os vereadores que compõem a Comissão Permanente de Saúde da Câmara solicitarão um relatório detalhado a respeito. Assim como foi apresentado um documento relatando o motivo que levou quatro bebês a óbito, em menos de 24 horas, há duas semanas, os parlamentares querem outro parecer para se certificar de que realmente não se trata de infecção hospitalar.

De acordo com o presidente da comissão, o vereador Israel Lacerda (PTB), por se tratar de um total de mortes acima da média nacional, os vereadores devem ficar em alerta e insistir no debate sobre as causas do problema. “Queremos o relatório completo, principalmente das sete mortes registradas só no mês de maio, o que não é normal. Nosso objetivo é poder informar também a sociedade, para que as mães não tenham medo de utilizar os serviços da unidade”, reforçou.

O relatório será solicitado ao interventor da Santa Casa, Marco Antônio Grandini Izzo, e à secretaria de Saúde, Célia Bortoletto. Lacerda afirmou ainda que a Câmara não aceitará qualquer fator que eleve os índices municipais. “Nós queremos esclarecimentos e vamos cobrar essa resposta. Os índices de educação, segurança e, principalmente da saúde, não podem ser negativos e é nossa obrigação questionar”, completou.

Sessão
Dos 23 vetos dados pelo prefeito de Suzano, Marcelo Candido (PT) a projetos do Legislativo, seis foram derrubados ontem pelos vereadores, sendo todos de autoria do vereador Rafael Garcia (DEM). Uma das proposituras se refere à obrigatoriedade de todas as receitas médicas e odontológicas serem digitadas em computador, datilografadas ou escritas manualmente em letra de forma.

Outros oito projetos foram aprovados durante a sessão, entre eles três apresentados pelo Executivo e relacionados à agricultura, como a criação de um Fundo Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Abastecimento de Suzano e a instituição do programa Patrulha Agrícola e da Feira da Agricultura Familiar.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 24/05/2011
Por: Cibelli Marthos