O julgamento de Vinicius Parizatto, o Capeta, um dos skinheads acusados de obrigar os amigos Cleiton da Silva Leite e Flávio Augusto do Nascimento Cordeiro a pular de um trem em movimento em 7 de dezembro de 2003 será realizado no dia 28 de setembro próximo. Capeta será o segundo dos três skinheads a ir a júri popular. Danilo Gimenes Ramos, o terceiro, está com o processo travado no Tribunal de Justiça aguardando resultado de recurso e ainda não há previsão para ser julgado.

Dos três acusados, Vinicius é o que, aparentemente, tem a situação mais complicada no caso. A ele são atribuídas as frases racistas nacionalistas ouvidas e relatadas por testemunhas que presenciaram os adolescentes pulando do trem. Na época, o crime chocou o País e a opinião pública.

Na noite de ontem, o primeiro réu do caso, Juliano Aparecido de Freitas, o Dumbão, foi julgado a 24 anos e seis meses de prisão em julgamento realizado no Fórum de Mogi das Cruzes. “Agora, temos de esperar pelo julgamento do Capeta. Não vamos sossegar enquanto os três não estiverem na cadeia”, disse a mãe de Cleiton, Olivina da Silva Leite.

O nome de Vinicius foi citado por diversas vezes no júri de ontem tanto por acusação quanto por defesa. Na saída do Fórum, o advogado de Dumbão, Adriano Hisao Moyses Kawasaki, comentou sobre o outro acusado, negando que durante o julgamento tenha tentado transferir a Capeta a culpa pelo fato. “Se falou muito nele porque ele era o mais velho. O Vinicius confessou à Polícia, em depoimento, que tinha a filosofia dos carecas do Brasil (skinheads que pregam segregação racial), mas em momento algum estava imputando a ele a responsabilidade. Só quis deixar claro que ele era o único que tinha essa filosofia”, destacou. O julgamento de Vinicius ocorrerá sete anos e nove meses depois do crime.

Publicado por: Mogi News
Em: 21/05/2011
Por: Willian Almeida