A superlotação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Santa Casa de Suzano pode ser a causa da morte de quatro recém-nascidos no último final de semana. De acordo com o interventor do hospital, Marco Izzo, “embora a infecção tenha sido descartada, situações adversas como essa acontecem quando há superlotação”.

Hoje a UTI Neonatal está com sete bebês. O hospital tem cinco leitos credenciados para atendimento pelo Sistema Único de Saúde e outros três que funcionam com verbas da própria Santa Casa. Por conta disso, o interventor já solicitou auxílio para a remoção de gestantes de alto risco para a Santa Casa de Mogi das Cruzes e o Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba. Essas são as únicas unidades da região que possuem UTI Neonatal.

A Secretaria de Saúde do Estado também foi comunicada pelo hospital suzanense que se houver gestantes nessa situação, sobretudo de outros municípios, será solicitada vaga em outro hospital.

“Estamos pedindo auxílio de outros hospitais que tem UTI e são de renome porque não podemos ficar recebendo mais gestantes de alto risco sem esclarecer os motivos das mortes”, disse. “Essa orientação já havia sido dada, mas continuávamos recebendo as gestantes nesse momento que não deveríamos. Mesmo não sendo infecção, situações adversas como essa acontecem quando há superlotação e estamos trabalhando acima do limite”.

Ontem a tarde, uma gestante de Itaquá que deu entrada na Santa Casa já foi removida. E na terça-feira um caso semelhante também ingressou no hospital. A Santa Casa chegou a solicitar ao Estado uma vaga através da Central Reguladora, mas o pedido logo foi retirado.

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 20/05/2011