Archive for junho, 2011


Geneticista Fernanda Gonçalves mostra Banco de DNA do Caminho de Volta

Segue aqui a relação completa da reportagem sobre crianças desaparecidas feita como conclusão do curso de Jornalismo e Políticas Públicas Sociais, da Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a ANDI Comunicação e Direitos. Foram três meses de pesquisa sobre o tema, uma das mais aprofundadas que já fiz. Neste período conheci experiências inovadoras como o Projeto Caminho de Volta, da Faculdade de Medicina da USP, que tem um Banco de DNA das famílias que têm seus filhos desaparecidos. Conheci o processo de armazenagem do material biológico dentro do laboratório no prédio da FMUSP. A ideia foi mostrar que com vontade política, os municípios podem se beneficiar de tecnologias já existentes.

Outro projeto bem interessante e que será apresentado pelo Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) no fim deste ano é o trabalho desenvolvido pela Fundação Criança, em São Bernardo do Campo-SP. Com a oferta de uma série de serviços, não somente com a finalidade de auxiliar nas buscas, mas no apoio psicológico, jurídico, social as famílias, a fundação consegue agregar o trabalho de outros atores neste processo, como o Conselho Tutelar, a Polícia Civil, a assistência social, os serviços de saúde, os abrigos e instituições de acolhimento. É a articulação destes órgãos que faz com que apenas 1% dos casos não tenham sido resolvidos, contra a média brasileira que é de 15%.


Vale lembrar também tramita na Assembleia Legislativa um projeto de lei que busca implementar uma política estadual no enfrentamento de pessoas desaparecidas. Nesta semana, houve uma audiência pública sobre a propositura, que será analisado agora pela Comissão de Segurança Pública.

Fuga é responsável por 73% dos desaparecimentos de crianças
Articulação entre órgãos mostra eficácia
Mãe procura filho que sumiu há mais de um ano e meio
Estratégias inovadoras podem resgatar crianças
Especialista diz que faltam políticas públicas para desaparecidos

Carrinho que Lucimara comprou para dar ao Nicolas quando fosse encontrado; ele faria 8 anos em 18 de julho

Na semana passada, fiz uma entrevista com Lucimara Ribeiro Vieira, mãe do estudante Nicolas que foi encontrado morto depois de 15 dias desaparecido no Jardim São José, em Poá-SP. Considero que o depoimento dado pela mãe foi importante para esclarecer a opinião pública sobre como se deu o desaparecimento da criança, as falhas da Polícia Civil na demora pelo registro e início das buscas e serviu de alerta para outras famílias terem com seus filhos e se manter mais atentos com as companhias e com a rotina diária das crianças.

Infelizmente, durante três meses entrevistando e pesquisando sobre desaparecimento de crianças e adolescentes, pude perceber o quanto a lei da busca imediata precisa de mais divulgação, tanto das autoridades, quanto da sociedade para fazer valer a legislação. Definitivamente, não é preciso esperar 24h, 48h ou até 72h para iniciar as buscas. A lei nº 11.259/06 determina que independemente da idade, a equipe de investigação deve iniciar as buscas a partir da notificação, sob pena do crime de prevaricação.

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) concluiu nesta semana o texto-base de preparação para a 9ª Conferência Nacional, que será em Brasília, em julho de 2012. Este ano, no entanto, as etapas anteriores já devem ser realizadas entre agosto e novembro. Isto significa que os municípios do Alto Tietê, precisam se organizar para promover as conferências locais.

Nesta edição, o tema sugerido pelo Conanda é a mobilização do Sistema de Garantia de Direitos (SGD) para a Política Nacional e o Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes. Para ter acesso ao texto-base, clique aqui.

O Conanda tem incentivado a participação dos adolescentes, inclusive na etapa nacional, na organização do evento, bem como na metodologia.

Nos municípios em que não há  secretaria específica sobre os direitos da criança, cabe ao papel do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e do Conselho Tutelar, as funções de protagonistas na elaboração desta conferência. Vale lembrar que toda a população pode participar e contribuir com sugestões para as etapas estaduais e a nacional. É esta política nacional que vai obrigar os governos a adotarem estratégias de ação no combate, por exemplo, a violência doméstica, a exploração sexual infantil, entre outros.

Abaixo, segue uma relação de telefones dos principais conselhos da região:

Conselho Tutelar Ferraz 4674-4378
Conselho Tutelar Poá 4638-1019
Conselho Tutelar Suzano 4747-1341
Casa do Adolescente Itaquá 4642-5884
CMDCA Mogi 4798-4716

Eis que que chega para deleite de todos, o mais novo artigo sobre Música Independente de Will Pereira. Neste novo texto, ele fala sobre a importância de em algum momento da vida, a banda ousar trilhar novos caminhos e compor algo próprio. Will partilha um pouco da experiência da banda Colletive, e como as composições ganham repercussão no mundo de hoje. Leia e faça comentários. https://agenciaatitude.wordpress.com/artigos/musica-independente/

A seleção mogiana de judô paraolímpico da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel) participou, no domingo, da 1ª Edição do Campeonato Central 2011, que foi realizada no Ginásio Municipal de Esportes Professor Hugo Ramos e que teve a academia Palmeiras/Mogi como campeã geral. O evento foi organizado pela 10ª Delegacia Regional Central da Federação Paulista de Judô, com a entrada gratuita.

As competições foram dirigidas aos judocas regulares (sem deficiência) das cidades do Alto Tietê e de academias de Arujá, de Santa Isabel e de Guarulhos. Os judocas são integrantes do Projeto Judô Paraolímpico, desenvolvido ao segmento das pessoas com baixa visão e cegas, que, no evento, representaram o Palmeiras/Mogi.

Os paratletas obtiveram resultado significativo, conquistando uma medalha de ouro, três de prata e duas de bronze. Na categoria Sub-20 Individual até 60 kg Ligeiro, Wodson Cruz Nascimento foi vice-campeão, assim como Alex Sandro Sobral Pereira, no Adulto Individual até 66 kg Meio-Leve.

Na categoria Adulto Individual até 81 kg Meio-Médio, Alessandro Fabiano de Oliveira foi o campeão. Magno Marques Gomes foi vice-campeão e Valdir Antonio Lustosa e Rogério Campos dos Santos conquistaram o bronze.

Publicado por: Mogi News
Em: 09/06/11
Por: Rodrigo Barone

Um incêndio, de origem ainda desconhecida, destruiu parte da sala da diretoria da escola estadual Professora Sylvia Mafra Machado. A diretora da unidade de ensino, Tânia Cristina Rodrigues da Cruz, de 38 anos, comunicou o fato à delegacia na manhã de ontem, mas não tem pistas dos autores do crime.

A escola atacada fica na rua Thomas Dominguez Dominguez, na Vila Cléo. Segundo informações registradas no boletim de ocorrência, registrado como dano qualificado, ao chegar à escola, por volta das 7 horas, a diretora constatou que uma das janelas da sala dela estava quebrada. Ao entrar, verificou que a sua mesa, onde fica o computador, tinha sido incendiada.

Além do eletroeletrônico, o fogo destruiu as cortinas e danificou parte da pintura da sala. O caso foi registrado no 2° DP, em Brás Cubas, pelo delegado Paulo Henrique Sinatura. (D.B.)

Publicado por: Mogi News
Em: 09/06/11
Por: Deize Batinga


O estudante Nicolas Alexandre Ribeiro Vieira, de 7 anos, está desaparecido desde domingo. Segundo testemunhas, ele foi visto pela última vez por volta das 21 horas, sentado sozinho na rua Embu Guaçu, próxima a residência onde mora com os avós maternos, na rua Floreal, Jardim São José, em Poá. O menino vestia uma camiseta do uniforme da escola municipal Padre Eustáquio (cor branco com a gola azul), uma blusa de moleton (azul marinho), calça jeans e sandália. O setor de Investigação da Delegacia de Poá está à frente do caso.

De acordo com a mãe de Nicolas, a dona de casa Lucimara Ribeiro Vieira, 29, momentos antes do desaparecimento, o menino estava na casa de uma senhora, vizinha da família, e voltou para casa para buscar uma blusa. “O filho dela diz ter visto ele sentado na calçada sozinho. Brincou com ele, mas Nicolas teria ficado assustado. Foi a última pessoa que viu meu filho”, conta a mãe.

Na busca pelo menino, Lucimara distribuiu cartazes com a foto dele pela cidade. No entanto, não recebeu informações de seu paradeiro. Ela mora no bairro há 28 anos e disse que não desconfia ainda de ninguém. “Não tenho inimigos e desavenças”, afirmou.

Nicolas mora com os avôs e sua mãe mora com o marido e com sua irmã mais nova em outra casa no mesmo terreno. A mãe diz que o filho convivia bem com todos e não apresentou mudanças de comportamento nos últimos dias. O pai do menino reside no Ceará e a família dele em Ferraz. Lucimara acredita que o pai não tem motivos para ser o autor do sequestro. “Quem estiver com meu filho, me devolva. Meus pais criam o Nicolas desde que ele nasceu e estão sofrendo. São pessoas com idade avançada e com problemas de saúde. Não posso oferecer recompensa. Estamos desesperados”, diz.

Investigação
Desde domingo, a família e conhecidos de Nicolas procuraram por ele no Instituto Médico Legal (IML), na Promoção Social e nos hospitais da cidade. Policiais da Civil e da Militar estiveram no local ontem e vasculharam com um cão o matagal que cerca o Jardim São José em busca de vestígios do garoto, mas não encontraram nenhum indício.

Informações
Quem tiver qualquer informação do garoto pode ligar para os telefones 4636-3530 / 4636-9150 / 7775-2222.

%d blogueiros gostam disto: