No mês de maio, a Santa Casa de Misericórdia de Suzano e o Pronto-Socorro Municipal registraram aumento de 333% nos casos de mortes de crianças em relação ao mês de abril. A totalização do número de mortes registradas de janeiro a abril desse ano ainda é inferior ao volume de óbitos de recém-nascidos registrado em maio.

Os números foram obtidos através de um levantamento realizado pelo Cartório de Registro Civil da cidade a pedido do DAT. Ao todo, até a última segunda-feira morreram 23 crianças atendidas na rede pública de Saúde em Suzano.

Nos registros de óbitos de janeiro foram contabilizadas duas mortes na Santa Casa. A primeira aconteceu no dia 19 – e a causa da morte foi prematuridade, segundo os registros. A segunda criança que morreu na mesma unidade tinha apenas dois dias de vida e faleceu por anoxia neonatal grave (falta de oxigênio), três dias após o primeiro registro deste ano.

Em fevereiro, quatro crianças também faleceram sob os cuidados da equipe médica da Santa Casa. Dois recém-nascidos morreram no dia 16. Um, com dois dias de vida, por síndrome de desconforto respiratório e, outro, com apenas quatro dias de vida, por infecção. Os outros dois casos também são referentes a recém-nascidos. Um bebê, com um dia de vida, morreu no dia 26 por insuficiência respiratória e, outro, com dois dias, morreu no dia 28 por aspiração de fezes, ainda no útero.

Em março, a Santa Casa registrou a morte de um bebê que morreu duas horas após o nascimento. A causa da morte foi “má formação”. No mês seguinte, com apenas um dia de intervalo, dois recém-nascidos morreram por asfixia perinatal e anoxia neonatal grave. Uma criança de dez meses morreu na Santa Casa por insuficiência respiratório no dia 12 de abril.

Maio
As 13 mortes registradas em maio, sendo dez na Santa Casa e três no PS, superaram a média de três óbitos verificados nos meses anteriores. A partir das quatro mortes em menos de 24 horas na Santa Casa é que o caso foi revelado na Imprensa. As causas das mortes são na maioria: anoxia neonatal, prematuridade e infecção neonatal. Após a divulgação dos óbitos, o Ministério Público (MP) instaurou dois inquéritos civis para apurar as causas das mortes. Até o fechamento desta edição não havia registro de mortes de recém-nascido neste mês nas unidades públicas de Suzano.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 08/06/11
Por: Vivian Turcato