Para acessar a planilha com dados da região, clique aqui

Nove das dez cidades do Alto Tietê não conseguiram alcançar a meta prevista em 2009 de ter alunos com aprendizado adequado à sua série. As situações mais críticas estão entre os estudantes do 5º ano de português e do 9º ano de matemática do ensino fundamental. A constatação está no relatório divulgado pelo Movimento Todos pela Educação, que avalia cinco metas para a melhoria da qualidade da educação até 2029.

O aprendizado adequado conforme à série em que estudam está classificado como a meta 3 do estudo “De olho nas metas” e preocupa. De acordo com o levantamento baseado nos resultados da Prova Brasil e no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), no 5º ano de língua portuguesa, apenas Poá superou a meta prevista na rede municipal de 38,9% dos alunos com o ensino conforme a série em que estudam. É o segundo ano consecutivo que as crianças de ensino fundamental poaenses conseguem atingir a meta própria e os alunos conseguem notas acima de 200 pontos na Prova Brasil. Em 2007, quando foi feita a primeira prévia, as escolas da cidade atingiram 33,3%. A meta do movimento é que até 2029, pelo menos 70% dos alunos possam ter aprendizado dentro da conformidade. Se o município continuar neste ritmo, pode antecipar o alcance deste objetivo em 2021.

Outra cidade que vinha nesta mesma perspectiva de alcançar a meta 3 é Biritiba Mirim. Em 2007, 31,9% dos estudantes já tinham alcançado este objetivo, quando a marca prevista era de 30,6%. Em 2009, no entanto, o município não ultrapassou a casa dos 35%, quando a meta prevista era de 38,2%.

A situação mais crítica nesta categoria é de Itaquaquecetuba. Em 2005, quando iniciou este levantamento, a cidade tinha apenas 19,6% de alunos com aprendizado adequado à série. Isto fez com que o município fosse nivelado por baixo, para que gradualmente pudesse alcançar as metas previstas a cada dois anos. Mesmo assim, esta rede municipal sequer conseguiu alcançar os objetivos propostos. Em 2009, apenas 23,8% das crianças têm ensino apropriado, quando o previsto era que 29,1% tivesse alcançado esta marca.

Matemática
Se no 5º ano de português, Itaquá está em uma posição crítica, em matemática, a cidade vem se superando a cada levantamento. Apenas este município conseguiu bater sua própria meta e 4,8% dos alunos conseguiram alcançar mais de 300 pontos na Prova Brasil. É bem verdade que o percentual baixo indica que as escolas terão de se esforçar para alcançar os 70% propostos pelo Todos pela Educação. Mas ao levar em consideração que todas as outras cidades da região não alcançaram suas metas, isto indica que o esforço deve ser coletivo.

Análise
O que chama a atenção neste estudo é que há no geral uma situação padrão verificada no que diz respeito aos alunos terem o aprendizado correspondente a série em que estudam. No caso de matemática, até o 5º ano, a maioria consegue aprender as noções básicas de aritmética, que em geral é ensinado neste período. Já no último ano, quando entram operações mais fracionadas e que exigem mais capacidade de raciocínio, há uma deficiência. Já na língua portuguesa ocorre o inverso. Na sua maioria, os alunos já vêm com dificuldades que não foram sanadas quando da alfabetização e até o 5º ano isso se reflete na incapacidade de formulação de frases simples. Após este estágio, algumas escolas tentam corrigir estas falhas (aulas de reforço são um exemplo), e se apresentam no 9º ano com alguma evolução.