Category: Ambiental


Nesta edição, você confere que a Prefeitura de Poá deseja criar mais cargos na área da Educação. Saiba por que aqui no Políica 360 graus. E mais, Plínio de Arruda Sampaio em entrevista fala sobre CPI do Cachoeira, Comissão da Verdade e movimentos sociais, termina dia 30 o prazo para as Câmaras fixarem o número de vereadores para a próxima legislatura, saúde, meio ambiente, habitação você confere ouvindo o podcast.

Ouça aqui

Pelo site: http://politica360.podomatic.com/ você ainda pode ouvir os demais programas.

O Política 360º é transmitido ao vivo, aos sábados, a partir das 10h, na rádio comunitária Nova FM 87,5 MHz. O conteúdo é produzido numa parceria da Agência Atitude e do Blog de Poá.

E se você têm iTunes, pode assinar nosso podcast e receba as atualizações semanalmente.

 

Nesta edição, o programa fala sobre três projetos que foram a votação na Câmara de Poá sobre o meio ambiente que prevê a coleta de pilhas e baterias, da saúde, que dispõe sobre a obrigação de letras de forma nas receitas médicas e na área jurídica, uma moção para a criação da 5ª Vara Civil de Mogi. Os projetos foram aprovados na última terça-feira, dia 17. Tem também o 2º Encontro de Blogueiros em Suzano, entrevista com Mário Sérgio Cortella no Salão do Livro no Max Feffer, inauguração de UBS no Jardim Nova Poá e muito mais. Não perca!

Ouça aqui

Pelo site: http://politica360.podomatic.com/ você ainda pode ouvir os demais programas.

O Política 360º é transmitido ao vivo, aos sábados, a partir das 10h, na rádio comunitária Nova FM 87,5 MHz. O conteúdo é produzido numa parceria da Agência Atitude e do Blog de Poá.

E se você têm iTunes, pode assinar nosso podcast e receba as atualizações semanalmente.

A educação ambiental foi apontada como um dos instrumentos importantes para colocar em prática a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) durante o debate promovido pelo Instituto de Formação Política Augusto Boal (IAB). “Lixo, desafios das cidades”, foi o tema do encontro “Segundas Intenções” realizado no Espaço Vida Padre Eustáquio, em Poá. A educadora ambiental Maria Henriqueta Andrade Raymundo destacou, porém, que a educação para a preservação do meio ambiente vai além das escolas e deve contemplar todos os cidadãos.

O eixo da educação ambiental aparece no artigo 8º, da lei federal nº 12.305/10, que estabelece a nova política para os resíduos sólidos. Conforme explica Maria Henriqueta, é papel tanto do governo, da sociedade, como do cidadão cobrar a implementação de ações para que a população possa se conscientizar de como lidar com o lixo doméstico. “Este triângulo (governo, sociedade e cidadãos) devem ser amorosos, mas muitas vezes, se tornam conflituosos”, afirma a educadora.

De acordo com a Política Nacional de Educação Ambiental, ao qual a PNRS está articulada, todos tem direito ao processo educativo, poder público, escolas e universidades, os meios de comunicação, as empresas e entidades de classe e toda a sociedade. Isto desmistifica a tese de que a educação ambiental deve ter enfoque apenas nas instituições de ensino.

O debate, que contou com as presenças também da professora e ex-diretora de Meio Ambiente da Prefeitura de Poá, Claudete Canada e do catador e representante da Cooperativa de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente (Cruma), Roberto Laureano da Rocha, apontou problemas na pedagogia implementada em algumas escolas em que alunos coletam latas de alumínio em troca de prêmios. “Desta forma, os alunos são incentivados a consumir mais, comprar mais latinhas para trocar na escola, o que estimula o consumismo e gera mais lixo”, acrescenta Maria Henriqueta.


A Associação de Bairro do Jardim Piatã I e II desenvolve diversas atividades e oferece serviços para os moradores. Um dos projetos que auxilia as pessoas é o “Jovem Mogiano”, que capacita os adolescentes e também contribui para eles conseguirem o primeiro emprego.

Nesse programa, os alunos têm noções de administração, informática e comportamento no mercado de trabalho. “Esse curso tem a duração de um ano. É feito em um horário diferente da escola para que os alunos possam conciliar.

eles saem da escola e vêm para o curso, o que também os tira da rua”, explicou a presidente da entidade Maria de Lourdes de Torres, 55 anos, que cuida do local há 17 anos.

Ela informou que esse ano as vagas aumentaram. “São 50 jovens ao todo. Quando eles terminam o curso, já podem colocá-lo no currículo e procurar um emprego”, acrescentou.

Além das aulas ministradas pelos professores, são oferecidas oficinas como a de panificação. “Temos informática, higiene e saúde, contabilidade e artesanato. Até o término do curso, uma ajuda de custo no valor de R$ 80 é distribuída para os jovens participantes”, explicou Maria de Lourdes. Ela contou que a procura pelas vagas do curso é grande.

A estudante Paloma Alves de Oliveira, 15, participa do projeto e diz que ele é uma boa oportunidade para conquistar o primeiro emprego. “Estou cursando o segundo ano e os cursos vão abrir muitas portas para mim”, ressaltou.

Nas próximas semanas, os alunos que frequentam as atividades do programa vão participar de uma capacitação de educação ambiental. “Trata-se de uma interação entre a escola e a comunidade. As crianças também se espelham no exemplo dos primos e irmãos mais velhos que participam do projeto. Isso é muito importante para a socialização”, afirmou Andrea Marinho, 35, diretora da Escola Municipal Professora Cleonice Feliciano.

Publicado por: Mogi News
Em: 14/05/2011
Por: Luana Nogueira


A Escola Ambiental de Mogi das Cruzes recebeu ontem cerca de 30 crianças da várias regiões do Estado de São Paulo, que visitaram as instalações da unidade e participaram das atividades voltadas para a preservação do meio ambiente.

As crianças, que estavam na região em razão do evento chamado de Adventure Camp, no qual atletas participam de caminhadas, corridas e outros esportes, passaram a tarde na escola.

As crianças conheceram o laboratório, em que puderam ter contato com o microscópio e ver organismos e estruturas de vegetais, visitaram a estufa, repleta de mudas de árvores nativas da mata atlântica, e passaram também pelas hortas e pelo jardim sensorial, onde sentiram o aroma, o sabor e a textura das plantas medicinais.

Minhocas
Outro local interessante e que atraiu olhares curiosos dos pequenos foi o minhocário de vidro (criação de minhocas). O passeio foi encerrado com uma deliciosa salada de frutas servida para as crianças. A Escola Ambiental de Mogi das Cruzes tem como objetivo formar educadores para trabalharem a questão ambiental com os alunos da rede municipal de ensino. O local recebe com frequência a visita de estudantes. Os educadores da Escola Ambiental também vão às escolas para ministrarem palestras sobre o tema meio ambiente. A escola fica no distrito de Jundiapeba.

Publicado por: Mogi News
Em: 03/04/2011
Por: Larissa Almeida

Com gestão da Secretaria do Verde e Meio Ambiente e novos espaços para atendimento do público, a Prefeitura de Mogi das Cruzes reabriu ontem, no Dia Mundial da Água, o Núcleo Ambiental da Ilha Marabá. O espaço público, que até 2010 foi gerenciado pela Organização Não-Governamental Bio-Brás, retornou para a gestão do governo municipal, que teria investido cerca de R$ 50 mil para modernizar o local.

O núcleo ganhou auditório com capacidade para 20 pessoas, laboratório para aulas práticas, orquidário, minhocário, horta e quiosque para atividades externas. A cerimônia de reabertura da ilha, que tem cerca de 13 mil metros quadrados e é cercada pelas águas do rio Tietê, contou com a presença do prefeito Marco Bertaiolli (DEM).

Secretários municipais, vereadores, representantes de entidades que defendem o meio ambiente e cerca de 50 convidados prestigiaram o evento. Bertaiolli visitou as novas instalações do núcleo ambiental, percorreu a trilha, que tem cerca de 300 metros, e aprovou as intervenções: “Esse espaço foi totalmente revitalizado e está preparado para realizar oficinas e oferecer visitas monitoradas, palestras e outras atividades para a conscientização ambiental e preservação da natureza”, afirmou.

A secretária do Verde, Maria Inês Soares Costa Neves, será responsável pela administração e por todas as atividades do núcleo inaugurado em 2004 pelo ex-prefeito Junji Abe. Em 2007, a Bio-Brás assumiu a gestão do local, que agora retorna aos cuidados da administração. A secretária observou que o espaço receberá diariamente até 80 crianças da rede municipal de ensino. O local poderá ainda comportar mais 80 visitantes adultos todos os dias. “Nosso objetivo é trabalhar para que a comunidade participe das atividades”, observou.

A Ilha Marabá fica na rua rua Delphino Alves Gregório, 790, bairro do Mogilar. Mais informações e inscrições para oficinas e outras atividades poderão ser obtidas no http://www.ilhamaraba.blogspot.com ou pelo telefone 4790-5142.

Publicado por: Mogi News
Em: 23/03/2011
Por: Bras Santos

A Praça Cidade das Flores foi palco ontem de uma grande discussão ambiental. Promovida pelo Grupo de Voluntários pela Defesa Ambiental do Tietê Cabeceiras, com o apoio da Prefeitura de Suzano, Sabesp e Bio-Bras, a 1ª Praça Socioambiental do Alto Tietê Cabeceiras reuniu uma série de entidades que promovem, no dia-a-dia, ações voltadas para recuperação ou manutenção da natureza existente no torno do Rio Tietê.

Membro do Grupo de Voluntários que organizou o evento, Celly Kelly Neiva dos Santos destacou a discussão em torno “Protocolo em Defesa da Recuperação da Qualidade Socioambiental da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê Cabeceiras”. O grupo atuou na construção do documento. “Nós trouxemos os nossos próprios trabalhos para divulgar o protocolo, convidamos as prefeituras da região para expor também os seus projetos, organizações signatárias ou não, mas que tem interesse no tema também participaram, então é um evento para divulgar e promover estas ações”, comentou. “Para isso promovemos a exposição destas instituições, foram distribuídas sementes de plantas nativas da Mata Atlântica, teve uma feira de trocas, oficina com brinquedos de garrafa pet, e shows de música para animar as pessoas que participaram”.

A iniciativa foi destacada pela secretária de Meio Ambiente de Suzano, Michele de Sá Vieira, que também expôs às ações de sua pasta em relação aos eixos do protocolo. “Os eventos são muito importantes, porque é um momento em que você consegue sensibilizar a população com relação à importância da agenda ambiental, e também é um momento que as pessoas possuem para desenvolver reflexões”, disse. “Temos vários trabalhos expostos, todos pautados em conhecimentos cientificos e práticos, então é um momento importante”.

A atividade contou ainda com a participação do deputado estadual José Candido (PT), que também contou com um estande divulgando ações promovidas durante seu mandato. “A praça promove hoje uma conscientização geral, sobre aproveitamento do óleo, demonstração das instituições que estão preocupadas com o meio ambiente, então isso é muito bom, porque o futuro da nossa juventude será muito ruim se nós não trabalharmos pelo meio ambiente hoje”.

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 20/03/2011

%d blogueiros gostam disto: