Category: Segurança


Um incêndio, de origem ainda desconhecida, destruiu parte da sala da diretoria da escola estadual Professora Sylvia Mafra Machado. A diretora da unidade de ensino, Tânia Cristina Rodrigues da Cruz, de 38 anos, comunicou o fato à delegacia na manhã de ontem, mas não tem pistas dos autores do crime.

A escola atacada fica na rua Thomas Dominguez Dominguez, na Vila Cléo. Segundo informações registradas no boletim de ocorrência, registrado como dano qualificado, ao chegar à escola, por volta das 7 horas, a diretora constatou que uma das janelas da sala dela estava quebrada. Ao entrar, verificou que a sua mesa, onde fica o computador, tinha sido incendiada.

Além do eletroeletrônico, o fogo destruiu as cortinas e danificou parte da pintura da sala. O caso foi registrado no 2° DP, em Brás Cubas, pelo delegado Paulo Henrique Sinatura. (D.B.)

Publicado por: Mogi News
Em: 09/06/11
Por: Deize Batinga

O Conselho Municipal de Segurança e Defesa Social (Comsedes) estuda a implantação de duas leis municipais para disciplinar o funcionamento de lan houses e impedir a instalação de máquinas caça-níqueis em estabelecimentos de Suzano. As medidas ainda estão sendo discutidas pelo conselho.

Em reunião na Escola Estadual Luiz Bianconi realizada ontem o conselho discutiu a criação das leis. O assunto deve avançar nos próximos encontros. “Deliberamos na reunião a criação ou ajuste da legislação sobre as máquinas caça-níqueis em estabelecimentos e as lan houses. As demandas já podem avançar”, disse o secretário de Defesa Social e Prevenção à Violência de Suzano, Hamilton Luiz da Silva.

As lan houses da cidade funcionam sem nenhum controle. “Elas trabalham sem disciplina. Algumas chegam a funcionar 24 horas por dia sem nenhum controle nos serviços fornecidos. São jogos violentos, sites impróprios. Não existe um controle para que haja a utilização de forma correta”, afirmou o secretário. Algumas lan houses chegam a abrir durante a madrugada nos fins de semana. Os usuários conhecem a ação como ‘corujão’.

Os membros do Comsedes também estudam uma lei voltada ao controle das máquinas caça-níqueis. “Ajustaremos a legislação para tornar mais eficiente o controle dessas máquinas no município. A ideia é que essas máquinas possam ser utilizadas em projetos de inclusão digital”, explicou Silva. Segundo ele, o equipamento precisa ser retirado de circulação imediatamente. “A máquina é apreendida, mas ainda fica depositada no estabelecimento do comerciante”, completou.

A implantação das leis será discuta novamente na próxima reunião do Comsedes. Até então, só existe um estudo voltado ao ajuste da legislação municipal.

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 26/05/2011


Um policiamento intensificado será preparado para a edição da Virada Cultural deste ano. Cerca de cem homens das Polícias Militar e Civil, da Guarda Municipal e agentes de trânsito vão cuidar da segurança durante os horários mais movimentados do evento. A rua Otto Unger será interditada a partir das 22 horas e uma faixa da Ismael Alves dos Anjos, sentido Mogilar, receberá bloqueio às 17 horas. A medida foi tomada por causa da quantidade de pessoas que devem circular pelas vias.

Nesta edição, as bebidas destiladas não poderão ser comercializadas pelos vendedores ambulantes. A cerveja tem a venda liberada apenas quando for servida em copos plásticos. “Estamos orientando ainda os comércios da região da praça Osvaldo Cruz e do largo do Carmo para não venderem essas bebidas destiladas”, explicou o secretário municipal de Segurança, Eli Nepomuceno. Serão 50 ambulantes credenciados para trabalhar no dia.

A abertura do evento hoje e as apresentações na Avenida Cívica inspiram mais atenção e ações de segurança. “A abertura da Virada no Teatro Vasques, às 18 horas, vai exigir uma atenção diferenciada. Teremos cem homens nos momentos de maior concentração de pessoas. Acreditamos que isso ocorra no sábado (hoje) à noite, na Avenida Cívica, e no domingo, a partir das 14 horas. Esses dois momentos serão críticos”, afirmou Nepomuceno.

O policiamento realizado pela PM será reforçado nos principais pontos dos eventos. “Além do policiamento normal, vamos contar com dois oficiais escalados para coordenar a operação. Teremos também o reforço da parte administrativa do batalhão”, informou o comandante interino do 17° Batalhão, major João Henrique Pereira de Souza. Ele destacou que o objetivo da ação é manter o conforto das pessoas que vão participar do evento. “Vamos manter a segurança das pessoas. As garrafas de vidro não poderão circular pelos locais. Faremos também cordões de isolamento para não permitir que esse tipo de material circule”, contou.

Os eventos da Virada Cultural vão ocorrer na Avenida Cívica, no Teatro Vasques, no largo do Carmo, na praça Oswaldo Cruz, no Centro de Cidadania e Arte (Ciarte), no Casarão do Carmo e no Terminal Central.

Publicado por: Mogi News
Em: 14/05/2011
Por: Luana Nogueira

A aposentada Roseli Moraes de Oliveira, 43, encontrou a filha Letícia Julia Moraes Soares, 15. A garota estava desaparecida desde o dia 4, quando teria sido vista em frente à sua casa, no São João, sendo arrastada para dentro de um carro. Letícia foi levada ontem ao 1° DP pela mãe do namorado.

Publicado por: Mogi News
Em: 12/05/2011

Cerca de 200 alunos da Escola Estadual Zeikichi Fukuoka, na Cidade Edson, participaram ontem da formatura realizada pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que reuniu autoridades municipais e da Polícia Militar. Os estudantes da 4ª série do ensino fundamental concluíram o curso de 20 horas que foi realizado por membros voluntários da 1ª Companhia do 32º Batalhão da PM de Suzano.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 06/05/2011
Por: Vivian Turcato

Passados 13 dias do massacre de 12 alunos em uma escola do Rio de Janeiro, a equipe de reportagem do DAT visitou 12 unidades das redes municipal e estadual do Alto Tietê e conseguiu entrar em cinco delas sem a permissão de qualquer funcionário. A situação identificada denuncia a vulnerabilidade no sistema de segurança e no controle de entrada de visitantes nas instituições. As unidades de Poá e Itaquá apresentaram os maiores problemas, já que foi possível acessar até mesmo as salas de aula e pátios internos.

Na Escola Estadual Dulce Maria Sampaio, no Parque Marengo, em Itaquá, apesar de existirem uma secretaria e um portão com trava elétrica, a equipe entrou sem receber nenhum questionamento por parte dos funcionários e percorreu os três pavimento da unidade. A presença do DAT só foi percebida depois de dez minutos, quando a própria equipe se identificou.

Na Escola Estadual Domingos de Milano, na Vila Odete, é necessário se identificar para seguir até as salas de aulas, mas um portão lateral permitia o acesso até as quadras. A equipe tentou acessar as demais dependências da escola, mas foi abordada por funcionários. O DAT tentou entrar na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Charles Henry Tyler Townsend, mas um funcionário faz a triagem dos visitantes no portão de entrada.

Em Poá, a reportagem entrou nas escolas estaduais Professora Ivone da Silva de Oliveira, na Vila Áurea, e Padre Simon Switzar, na região central. Na primeira escola, onde o portão estava aberto, a equipe também só foi percebida após se identificar. Uma funcionária informou que, por se tratar de horário de entrada e saída de alunos e professores, o portão ficou aberto para circulação dos veículos. Na segunda instituição, a inspetora de alunos que permanece na entrada não percebeu o acesso da equipe, que circulou por todos os corredores e saiu sem ser notada. A Escola Estadual Bertha Corrêa, também no centro, possibilita a entrada de qualquer pessoa somente até a quadra esportiva, que estava repleta de crianças na manhã de ontem.

O DAT tentou entrar em duas escolas municipais de educação infantil e duas escolas estaduais de Suzano, mas em todas a equipe foi barrada na secretaria. Durante as visitas, foi possível identificar maior eficiência no sistema de segurança utilizado nas escolas municipais, em especial nas unidades que recebem bebês e alunos da educação básica. Em Ferraz, a equipe visitou a Escola Estadual Vila Corrêa II e não conseguiu ter acesso as salas de aula, mas circulou pelas áreas externas em torno do prédio.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Por: Cibelli Marthos
Em: 20/04/2011

O Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) recebe, em média, 3.500 ligações por dia do Alto Tietê. Destes chamados, pelo menos 60% são trotes. A polícia quer diminuir esses números, já que o trabalho de atendimento à população fica prejudicado devido aos falsos chamados, que na maioria são feitos por crianças e adolescentes com idade entre 10 e 15 anos.

Para se ter uma ideia do problema, em 21 de janeiro deste ano, o Copom atendeu 134 ligações em uma hora, mas 108 eram trotes, ou seja, 80% delas. “Imagine o prejuízo à população. Uma pessoa precisa denunciar um crime e a polícia está em uma ligação destas. É uma dificuldade”, explicou a segundo tenente feminina Brenda, que mostrou como funciona o Copom ontem de manhã, ao lado do primeiro tenente Marco Aurélio, responsável pelo setor operacional.

Marco Aurélio ressaltou os horários em que mais ocorrem os trotes. “Normalmente, por volta do meio dia e no final da tarde, horário em que os jovens saem das escolas e também aos feriados, quando eles ficam em casa. Os trotes em geral são denúncias falsas sobre sequestros, acidentes e assaltos”.

Brenda lembrou que o treinamento dos policiais que trabalham no Copom é essencial para diminuir o prejuízo. “Todos passam por um curso e sabem diagnosticar rapidamente quando se trata de um trote. Existe uma triagem que é feita antes de acionarmos uma viatura. Mas só esse tempo gasto já é suficiente para atrapalhar o serviço”, lembrou.

O Copom possui atualmente 80 funcionários. A central, que atende quase toda a região (Santa Isabel e Arujá fazem parte do Copom de Guarulhos), mantém seis linhas disponíveis para o atendimento.

Sobre as principais denúncias atendidas na central, está o furto e roubo de veículos e residências. “No caso dos furtos é mais difícil a PM localizar o autor, mas nos roubos temos obtido muito sucesso, já que o crime ocorreu em poucos minutos e dá tempo da viatura chegar rápido ao local”, comentou Marco Aurélio.

Campanha
O Comando de Operações da Polícia Militar (Copom), do Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPA/M-12) está à procura de parcerias para imprimir folders educativos. A intenção é distribuir materiais que expliquem sobre a importância do atendimento via 190 e como os trotes, geralmente aplicados por crianças e adolescentes, podem prejudicar no atendimento de ocorrências reais. Os interessados em colaborar com essa causa podem entrar em contato com o CPA/M-12 pelo telefone 4799-7000.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Por: Leandro Dilon e Deize Batinga
Em: 19/04/2011

%d blogueiros gostam disto: