Category: Comportamento



Conforme estudo encomendado pelo Governo do Estado ao Ibope, o consumo de álcool por adolescentes começa por volta dos 13, 14 anos, tornando-se mais frequente a partir dos 16 anos, quando os jovens passam a ir a casas noturnas, festas e até mesmo quando entram na faculdade. Além disso, a pesquisa aponta que eles preferem consumir bebidas alcoólicas de efeito mais rápido e com preços mais acessíveis.

No que se refere ao uso e dependência de álcool, a pesquisa mostra que a faixa etária que apresenta maior dependência é entre os 18 e 24 anos, seguida da dos 25 aos 34. E isso vale tanto para o sexo masculino, quanto para o feminino, o que leva a concluir-se que o consumo precoce do álcool por adolescente e crianças leva a tal situação.

Em contraponto, a pesquisa também revela que 66% dos adolescentes brasileiros afirmam não ingerir bebidas alcoólicas, enquanto 35% dizem consumir álcool pelo menos uma vez ao ano. As bebidas mais consumidas entre os pesquisados são cerveja, vinho e destilados. Aproximadamente metade das doses consumidas é de cerveja ou chopp.

No estado de São Paulo, o estudo revela que 18% dos adolescentes entre 12 e 17 anos bebe regularmente e que quatro entre dez menores compram livremente bebidas alcoólicas no comércio.

A pesquisa domiciliar foi realizada no estado de São Paulo com três públicos, em maio de 2011, entre eles: população com 18 anos ou mais, adolescentes de 12 a 17 anos e pais de adolescentes de 12 a 17 anos. Também foi realizada discussão em 14 grupos de pais e adolescentes, de 12 a 14 anos e de 15 a 17 anos, das classes A, B, C e D; e também com donos de bares, casas noturnas e quiosques de praia.

Fonte: Saúde em Pauta

Conhecer as técnicas para controlar o acesso à Internet nos laboratórios de escolas de ensino fundamental e médio foi o tema da palestra “Os riscos da Internet na escola: como se prevenir”, que reuniu cerca de 30 representantes de instituições de ensino privado e público, na sede da Associação Comercial de Mogi das Cruzes.

Na manhã de ontem, o especialista em segurança na Internet, Orácio Kuradomi, falou sobre um software que filtra todas as informações a que os alunos terão acesso e exclui conteúdos inapropriados para o ambiente escolar. O evento foi promovido pelo Núcleo Setorial de Escolas Particulares que realiza também, até o dia 10 de junho, a Campanha do Desarmamento Infantil.

Segundo Renato Moretti Pereira de Faria, organizador do evento, a palestra foi importante para esclarecer muitas dúvidas dos educadores com relação ao uso correto da Internet nas escolas. “Recebemos dicas de como fazer para evitar as invasões de hackers, disseminação de vírus, além do controle de acesso dos alunos nos computadores da unidade. Muitos profissionais tinham dúvidas de como proibir o uso, então, neste ponto, foi muito esclarecedor. Até porque aprendemos também como evitar o cyberbullying, que é a prática do bullying pela Internet, que se tornou muito comum”.

Um ponto positivo da palestra foi a participação de professores e diretores de escolas públicas da rede municipal e estadual. “Ultimamente estas unidades têm participado ativamente das ações da setorial e isso é muito importante porque nos dá uma característica do papel social que temos de desempenhar”, destacou.

O palestrante Orácio Kuradomi é especialista na área de informática há 23 anos e tem uma empresa de desenvolvimento de sistemas de segurança e controle total de acessos à Internet. “Expliquei um pouco para os educadores sobre os detalhes que podem fazer a diferença e como evitar problemas sérios no ambiente escolar, como a proibição do uso das redes sociais para alunos menores de 18 anos, por exemplo”.

O especialista apresentou um programa de computador que monitora o acesso em todos os computadores da unidade escolar, filtra as todas informações que chegarão aos alunos e controla o acesso dos funcionários. “É um investimento pequeno, se comparado a otimização do trabalho com a Internet que este programa possibilita. Vale a pena conhecer”, afirmou.

Publicado por: Mogi News
Em: 18/05/2011
Por: Jamile Santana

A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) realiza, por meio do Núcleo Setorial de Escolas Particulares, uma palestra sobre os riscos do uso da Internet nas escolas. A apresentação será na terça-feira, às 9 horas, no auditório da entidade (rua Barão de Jaceguai, 674), e será gratuita.

Oracio Kuradomi, especialista na área de informática há 23 anos e consultor da Rede Globo, da Rede Record e da Rede Jovem Pan, será o palestrante. Ele vai apresentar pesquisas sobre o uso da Internet nas escolas e abordar as responsabilidades da direção das instituições de ensino.

A palestra é voltada para mantenedores, diretores, educadores e profissionais de Tecnologia da Informação e demais interessados. As vagas são limitadas. Mais informações e inscrições pelos telefones (11) 4728-4324 e 4728-4327 ou pelo e-mail cursos@acmc.com.br.

Publicado por: Mogi News
Em: 14/05/2011

Emerson Sant´ana e Simone Silva aguardam a entrega das chaves na Vila Jundiaí

A busca pela casa própria nunca esteve tão presente entre os jovens. Seja por meio de financiamento ou de construções desde o alicerce, é cada vez maior o número de pessoas com idade entre 18 e 30 anos que fazem da aquisição de um domicílio prioridade. Dados da Caixa Econômica Federal (CEF) apontam que em 2010, 36% das pessoas que obtiveram crédito habitacional tinham menos de 30 anos. Em Mogi, das mais de 45 mil pessoas com renda de até três salários mínimos que se inscreveram para serem beneficiados com uma unidade do programa Minha Casa, Minha Vida, 14.792 estão dentro desta faixa etária.
O estudante de engenharia elétrica Ricardo de Oliveira Gomes, de 24 anos, é um exemplo dessa nova safra de jovens preocupados em garantir cedo um local para viver que não seja a casa dos pais.

Com planos de casar em breve com a namorada Mônica Pereira da Franca, 19, com quem está junto há quatro anos, ele conta que as consultas às imobiliárias já começaram. “Estamos bastante tempo juntos e queremos nos casar. Estou no último ano da faculdade e ela no terceiro e vamos esperar um pouco. Já escolhemos Mogi como a cidade e queremos nos casar e não apartamento. Temos consultado algumas imobiliárias”, contou.

Assim como o estudante, diversos outros jovens seguem em busca de um lar próprio. O representante técnico Edson Sant´Ana da Silva, de 26 anos, de Suzano, viu o antigo sonho de ter a casa própria como prioridade com o nascimento do filho de dois anos e meio. O objetivo agora é sair do aluguel. “Comprei um apartamento na planta, que já estava em processo de construção, e agora falta sair a documentação, em três ou quatro meses. O bom é poder sair do aluguel também, embora eu pense diferente de outras pessoas que julgam o aluguel como dinheiro jogado fora, porque é um local onde estou morando, querendo ou não, com a minha família”, afirmou. O representante obteve um subsídio de R$ 18 mil por meio do programa federal.

Três anos mais novo que o irmão Edson, o professor Emerson Sant´ana da Silva também está aguardando as chaves do apartamento que comprou na Vila Jundiaí, em Mogi. Para ele, planejar a compra do imóvel foi fundamental. “Foi um planejamento de dois anos e meio. Quitei minhas dívidas, comecei a juntar dinheiro com minha noiva e conseguimos um subsídio de R$ 22.315 com o Minha Casa, Minha Vida. Até que saia o apartamento, previsto para maio, continuo morando na casa da minha sogra”, afirmou.

Publicado por: Mogi News
Em: 27/03/2011
Por: Willian Almeida

Para especialistas, momento é propício
Em alguns casos, solução é construir
Pedidos correspondem a 31%
Procura por imóveis aumenta  em 30% com programa Minha Casa

%d blogueiros gostam disto: