Category: PPD


Está marcado para o próximo dia 25 de maio, às 10 horas, o lançamento da pedra fundamental do início das obras de construção do prédio da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), que será erguido na via Perimetral, no Rodeio.

Além disso, o prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (DEM) convidou toda a população para participar do evento da campanha junto ao Fundo Social de Solidariedade de Mogi, que irá recolher moedas em diversos pontos de coleta espalhados pela cidade. O objetivo é presentear a próxima cidade que for contemplada com uma unidade da AACD na edição do Teleton 2011, programa que irá ao ar em outubro no SBT.

O valor que será arrecadado em escolas, entidades e órgãos públicos e deve expressar a gratidão do povo mogiano não foi estipulado. “Vale o quanto a gente conseguir, desde que seja o que a população mogiana realmente queira doar em forma de gratidão por este presente que recebemos, que é a AACD”, destacou o prefeito.

Ele anunciou ainda que a empresa vencedora da licitação deve ser divulgada até a próxima quarta-feira e deve concluir o prédio em seis meses após o início dos serviços.

Ontem, durante uma reunião no gabinete, o prefeito contou com um número considerável de participantes – entre autoridades e a população mogiana. Bertaiolli detalhou todo o processo de participação da seletiva até, finalmente, ver Mogi ser escolhida para receber a unidade da AACD, em novembro do ano passado. “Essa participação dos mogianos é fundamental para mostrar que estamos de braços abertos para receber esta entidade social grande que vai ajudar muito quem precisa. Além disso, com a campanha de arrecadação de moedas, poderemos ensinar nossas crianças a guardar para ajudar o próximo”, disse. A unidade da AACD será instalada em um terreno de 5 mil metros quadrados, terá 33 salas, além de uma oficina de fabricação de órteses e próteses.

O presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Mogi, Alfredo Casella, estava emocionado. “Vamos, com certeza, arrecadar moedas com nossas famílias atendidas para presentear a próxima cidade que irá receber um equipamento tão importante quanto a AACD. Vale ressaltar que a associação caminha junto com a Apae, e a partir do momento que vem para Mogi, os caminhos das duas entidades irão se cruzar, facilitando o atendimento a quem mais precisa”, afirmou.

Acostumado a trabalhar com campanhas sociais, o presidente do Lions Clube Centro, Joaquim Custódio, declarou apoio à campanha. “Sabemos o quanto uma pequena ajuda se transforma em um ato muito importante. Vou levar a campanha em todas as reuniões de nossos associados e multiplicar estas moedas. A AACD é uma entidade séria, e precisamos agradecer o presente que Mogi recebeu”.

Publicado por: Mogi News
Em: 11/05/2011
Por Jamile Santana


A dificuldade em atravessar as avenidas de Mogi das Cruzes é um dos principais transtornos enfrentados pelos deficientes visuais. A falta de semáforos sonoros é a principal reclamação daqueles que precisam do equipamento para garantir sua autonomia. Os cadeirantes também contam que alguns dos ônibus da cidade apresentam problemas nos elevadores.

André de Paula Bicudo Fernandes, de 28 anos, possui baixa visão e precisa utilizar o transporte público para se deslocar até São Paulo. Para ter acesso às linhas do trem ele precisa chegar ao Terminal Estudantes. Ele afirma que é nesse ponto que o problema começa. Fernandes precisa atravessar a rua Álvaro Pavan, no Mogilar. “Antes existia o sinal sonoro para o semáforo. Depois da reforma, tiraram”, contou.

As indicações gravadas no equipamento são feitas em braile para a leitura dos deficientes. No entanto, a inscrição não basta para auxiliar na travessia. “Cheguei a ficar 25 minutos esperando para atravessar e ninguém me ajudou. Não sabia se estava vindo carro”, disse Fernandes. Ele chegou a protocolar pedidos na Prefeitura para que semáforos sonoros fossem reparados perto dos dois terminais de ônibus (Central e Estudantes) e para a instalação de um outro aparelho na avenida Narciso Yague Guimarães, na altura do Mogi Shopping. O pedido foi feito no dia 9 de maio.

O piso podotátil colocado na parte externa do Terminal Estudantes é outra reclamação do deficiente. Ele alega que a estrutura se confunde com as lajotas tradicionais do calçamento. “Devia ser emborrachado como na parte de dentro. O pior é o Terminal Central não possuir esse tipo de piso na parte interna, o que dificulta nossa locomoção”, explicou.

O cadeirante Isaias Pinto da Silva conta que utiliza os elevadores dos ônibus com frequência e que já passou por alguns transtornos. “Às vezes, o elevador está quebrado ou o funcionário não sabe operar. Por isso, tenho que ficar esperando o próximo”.

Outro lado
Por meio da Assessoria de Imprensa, a Prefeitura de Mogi informou que, em relação aos semáforos, existe uma licitação aberta para compra das botoeiras com aviso sonoro. A previsão é de aproximadamente 60 dias para que os equipamentos sejam instalados nas proximidades dos dois terminais municipais e também em outros pontos da cidade apontados pela Associação dos Deficientes Visuais do Alto Tietê (ADVAT).

Sobre os elevadores dos ônibus, a Prefeitura informou que podem ocorrer falhas no funcionamento, mas as empresas devem providenciar o reparo imediato.

Em relação ao piso podotátil, a instalação segue as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), mas a Prefeitura pode estudar outras melhorias.

Publicado por: Mogi News
Em: 06/05/2011
Por: Luana Nogueira

O projeto de lei que autoriza a Prefeitura de Mogi das Cruzes a celebrar convênio de parceria com a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) foi encaminhado durante a sessão de ontem na Câmara Municipal às comissões pertinentes para a análise do assunto. A proposta prevê a concessão por vinte anos de um terreno no Rodeio, onde será construído o Centro de Reabilitação de Pessoas com Deficiência Física. O prazo é que o novo centro seja inaugurado até dois anos após a aprovação do convênio pelo Legislativo.

Publicado por: Mogi News
Em: 30/03/2011

A Prefeitura de Itaquaquecetuba adquiriu 15 bebedouros para deficientes, que deverão ser instalados em até 45 dias em escolas municipais. A compra ocorreu devido a um processo de Educação Inclusiva e porque agora as instituições farão parte das escolas modelos de adequação de acessibilidade. Cerca de 300 crianças deverão ser beneficiadas com os equipamentos e o uso é destinado principalmente àqueles que utilizam cadeiras de roda. O valor do investimento não foi divulgado pela administração municipal.

As Escolas Municipais (EMs) beneficiadas serão: Professor Paulo Nunes, Engenheiro Chiozo Kitakawa, Vereador Leolino dos Santos, Ítalo Adami, Dr. Charles Henry Tyler Townsend, Prefeito Benedito Barbosa de Moraes, Prof.ª Maria Cristina Diniz de Almeida, Prof.ª Maria Eulália Nobre Borges, José Piacentini, Prof.º Alceu Magalhães Coutinho, Prof.ª Olívia Aparecida da Silva Costa Guglielmo, Vereador João Marques, Vereador Augusto dos Santos, João Geraldo dos Santos e Village.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 31/03/2011
Por: Ariane Noronha

O prefeito Marco Bertaiolli (DEM) vai encaminhar na próxima terça-feira à Câmara Municipal o projeto autorizando a doação do terreno onde será instalada a unidade da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). O anúncio foi feito por ele em entrevista coletiva à Imprensa após a solenidade em comemoração aos 42 anos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Mogi.

De acordo com o prefeito, as obras devem começar na segunda quinzena do próximo mês. É o tempo para que o conteúdo seja aprovado na Câmara, para que a Prefeitura analise o projeto do prédio, que já foi concluído pelos técnicos da AACD, e para que ocorra a assinatura do convênio para o início da construção.

“A AACD já entrou na Prefeitura com o projeto de construção, que já está sendo aprovado na Secretaria de Planejamento. A unidade já está fazendo a licitação para contratar a construtora e devemos ter, na segunda quinzena de abril, a solenidade de início das obras do prédio. Ele é muito bonito e prático de ser construído. Está tudo dentro do cronograma para que seja entregue em outubro, no Teleton”, disse.

Ainda de acordo com o prefeito, a diretoria da AACD de Mogi contará com membros da Apae. “A AACD de Mogi é uma regional da de São Paulo. Então, será composta por uma diretoria de voluntários da cidade. E essa diretoria precisa ser composta por pessoas que queiram fazer o bem, como os diretores da Apae”, afirmou.

Aniversário
Bertaiolli participou do ato ecumênico de comemoração aos 42 anos da Apae de Mogi. “A história da Apae, nestes 42 anos, serve para mostrar como ela é importante. Sinto-me privilegiado por poder participar de um momento como o de hoje”, disse no discurso de cerca de dez minutos. O prefeito agradeceu e parabenizou todos os voluntários da associação.

O presidente da Apae, Alfredo Casella Junior, também comemorou a data. “É o resultado de um trabalho feito com amor, de luta constante e de persistência. É gratificante participar deste momento”, afirmou.

História
A Apae de Mogi foi fundada em 27 de março de 1969 por um grupo de pais de pessoas portadoras de necessidades especiais. O presidente que mais tempo permaneceu à frente da entidade foi Ricardo Strazzi. O filho dele, Nei Strazzi, portador de necessidades especiais, é um dos principais voluntários da associação. “Eu comecei com o meu pai (há 30 anos), com a ´turminha´. Acho legal o meu trabalho aqui”, disse. “A ligação do Nei com a Apae não é de trabalho, mas de convivência. Ele é o elo entre a instituição e os alunos. Usamos muito o exemplo dele para estimular os pais a incentivar os filhos a se aplicarem aqui”, afirmou o diretor Mário Junior.

Publicado por: Mogi News
Em: 26/03/2011
Por: Willian Almeida

A principal razão para a criação da unidade mogiana da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Apae, Ney Marcos Strazzi, hoje com mais de 40 anos, estava radiante com a animação da festa de aniversário dos 42 anos da instituição.

Filho do fundador Ricardo Strazzi, o jovem desempenha atualmente um importante papel de intermediação entre a diretoria e os mais de 500 alunos da unidade. Símbolo da importância do trabalho da entidade, Ney, como é conhecido pelos colegas, é o principal exemplo de que é possível sociabilizar os frequentadores da unidade.

Marcado por um culto ecumênico com religiosos, políticos e convidados, mais de 200 pessoas ouviram as palavras de representantes de igrejas evangélicas, católicas e da Seicho-no-ie. Ao final das pregações, teve bolo, refrigerante e o famoso “parabéns a você” para festejar a data.

“Acho esta festa muito legal. Tudo está bonito e se não fosse a ajuda dos funcionários não conseguiríamos realizar um evento deste”, disse Nei.

Referência no Alto Tietê na prestação de serviços como os da Clínica de Audiometria, e inovadora na implantação de técnicas terapêuticas, como a equoterapia, a instituição é motivo de orgulho para quem trabalha como funcionário ou voluntário.

“A forma como o Ricardo Strazzi conduziu geniosamente esta entidade por mais de 30 anos transformou a Apae de Mogi em uma referência. Hoje ao vermos o filho do Strazzi completamente sociabilizado e dedicando boa parte do seu dia ao trabalho na instituição mostra que realmente tudo isso é possível”, destacou Mario Julio, um dos diretores da unidade.

O presidente da Apae, Alfredo Casella Junior, destacou a atuação da unidade na Cidade e Região. “Fico bastante honrado em fazer parte desta história. Juntamente com o meu grande amigo Ricardo, há 30 anos, convivo neste ambiente e já perdi as contas do número de crianças que acompanhei a reabilitação. O sorriso delas é, sem dúvida, a maior recompensa”, declarou.

A sede localizada na região central conta com seis mil metros quadrados de área construída onde são feitos os atendimentos em salas de aula, de terapia, piscina, oficinas, cozinha experimental, clínica e a área livre utilizada para atividades diversas. Já na sede rural, localizada na Vila Moraes, o espaço de 15 mil metros quadrados conta com espaços para atividades de jardinagem, cultura de hortaliças e a equoterapia. “A terapia com cavalos ou equoterapia possibilita ao aluno aprender o sentido de equilíbrio e a coordenação motora dos alunos”, destacou Casella.

Publicado por: O Diário de Mogi
Em: 26/03/2011

%d blogueiros gostam disto: