A Secretaria de Estado da Saúde indeferiu, ontem, o pedido da Prefeitura de Suzano para o cancelamento da interdição parcial da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Santa Casa de Misericórdia – nesta situação, as gestantes de risco da cidade serão transferidas para os hospitais: Santa Marcelina em Itaquaquecetuba e o Regional em Ferraz de Vasconcelos.

A administração municipal enviou a solicitação na última sexta-feira – no mesmo dia em que o Estado, juntamente a Vigilância Municipal, interditou o setor. No entanto, de acordo com a assessoria de Imprensa da pasta estadual, o pedido foi indeferido porque a Santa Casa não cumpriu o cronograma de adequações exigidas para a reabertura da UTI.

A Secretaria Estadual de Saúde concluiu após a vistoria realizada entre os dias 25 e 26 do mês passado que a área física da UTI precisa das seguintes adequações: quanto ao número de leitos; fluxos pessoas/materiais; localização e quantificação de lavatórios para uso da equipe de saúde; ambientes de apoio; controle de manutenção preventiva e ventilação adotada e outros itens da área física e também a definição de uso e organização dos ambientes de trabalho, “entre outros fatores que comprometem, principalmente, a qualidade dos serviços prestados oferecendo riscos à saúde”, diz o relatório. 

Ainda segundo o documento, há a necessidade de adequar a liberação de resultados laboratoriais, “pois a rastreabilidade destes encontra-se prejudicada devido aos problemas descritos neste relatório, pelo qual o serviço será autuado por este GVS (Grupo de Vigilância Sanitária VIII – Mogi das Cruzes), também apresenta problemas de área física e de logística para encaminhamentos e realização de exames”. Além disto, o relatório afirma que o Centro de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) também apresenta falhas. “Os registros indicam que o programa (Programa de Controle de Infecção Hospitalar) está implementado parcialmente e demonstra que a CCIH não é atuante, pois os indicadores de infecção hospitalar não são compatíveis com a realidade hospitalar observada”, concluiu o relatório da Secretaria Estadual de Saúde.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 06/06/2011
Por: Vivian Turcato