O quadro de trabalhadores das unidades da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (Casa) do Alto Tietê está abaixo do ideal. A instituição tem déficit de 17,5% no número de funcionários das cinco unidades da região, segundo aponta o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e a Família do Estado de São Paulo (Sintraemfa), que representa a categoria. O Governo do Estado não confirma os dados. A contratação de servidores faz parte das 55 reivindicações do Sindicato, que decretou no último sábado estado de greve.

Segundo o presidente do Sintraemfa, Julio Alves, faltam pessoas para preencher o conjunto de servidores das unidades do Alto Tietê. “O quadro de servidores está defasado”, afirma o presidente. São cinco unidades da Fundação Casa na região. Só em Ferraz de Vasconcelos e Itaquaquecetuba existem duas em cada cidade, enquanto em Arujá há uma unidade. “As duas unidades de ferrazenses precisavam ter 92 servidores atuantes, mas a realidade é outra com 74 trabalhadores, revela o sindicato. Nas unidades de Itaquá o ideal seria 84 e não 76 profissionais. Na única unidade de Arujá, existem 30 servidores atuando, mas o certo seria42”, detalha Alves. (Confira quadro nesta página)

O indicado então seria 218 servidores para atuar nas cinco unidades, mas a realidade é outra com 180 profissionais, ou seja, um déficit de 17,5% no quadro de trabalhadores. Embora haja informações divulgadas pelo Sintraemfa sobre o número de funcionários ideal e os atuantes, a Fundação Casa não confirma os dados. “Por motivo de segurança, não informamos números de funcionários que trabalham nas unidades da instituição”, esclarece, em nota, a fundação.

Estado
Ainda segundo o presidente do Sitraemfa, a defasagem atinge 35% do quadro de funcionários de todas as unidades do Estado.

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 10/05/2011