Archive for abril 13, 2011


Com previsão de investimentos da ordem de R$ 42 milhões, a implantação das novas escolas do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Itaquaquecetuba e Poá ainda dependem da doação dos terrenos por parte das respectivas prefeituras. Esse processo já teve início e a expectativa é que as obras comecem ainda em 2011.

De todas as nove unidades do Sesi que serão construídas no Alto Tietê, a que terá o maior investimento será a de Itaquá: R$ 27 milhões. A escola vai ser construída em uma área de 46 mil metros quadrados no Centro de Atividades, que atenderá também as áreas de esporte e lazer. O projeto prevê mil novos alunos para o Ensino Fundamental em horário integral e outros 400 para o Ensino de Jovens e Adultos.

Já em Poá, a obra vai custar R$ 15 milhões e será feita em um terreno com 31 metros quadrados. O novo prédio vai atender estudantes que já frequentam a unidade municipal, que funciona em um espaço cedido pela prefeitura. Ao todo, serão 500 alunos do ensino fundamental e mais 250 do EJA.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 09/04/2011
Por: Willian Almeida

A unidade do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Ferraz de Vasconcelos será entregue em junho. A confirmação foi feita na manhã de ontem pelo diretor regional da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp-Ciesp), Milton Sobrosa, durante evento em que anunciou um suporte de R$ 109 milhões em investimentos para nove novas unidades do Sesi no Alto Tietê.

O de Ferraz foi construído no Jardim Yara e atenderá 1,4 mil alunos. Mil deles correspondem à demanda atual nos ensinos médio e fundamental. O restante é de alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). A obra teve início no ano passado e a expectativa inicial era de entrega no final de 2010.

O investimento na obra é de R$ 18 milhões. A área possui 15 mil metros quadrados. O Sesi de Ferraz será o primeiro da região a contar com o novo modelo de educação em período integral. Além disso, será também a primeira unidade a ter o novo projeto arquitetônico do sistema. “Nós vamos dobrar o número de salas na região com o novo modelo de ensino. Cada uma delas tem um prazo definido e a mais avançada é a de Ferraz, cuja entrega acontecerá em junho”, afirmou Sobrosa.

Ainda de acordo com Sobrosa, Ferraz foi a cidade mais beneficiada com o novo sistema de ensino. “Ferraz foi beneficiada porque ela foi anterior. Não pegou a metodologia de adequação de todas as escolas de período integral. Mas sim a adequação de unidades que estão em situação desprivilegiadas. Por conta disso, se lançou de alguns benefícios, como o dobro de salas. Isso não seria possível agora porque o plano é para atender a demanda já existente. Hoje, se a escola tem 500 alunos, vamos construir uma unidade nova para 500 alunos”, completou.

De todas as unidades que vão ser construídas na região, a de Ferraz de Vasconcelos é a única que terá novas salas e consequentemente novos alunos.

Atrasos
A obra será entregue com pelo menos seis meses de atraso em relação ao prazo inicial. Problemas no solo e na qualidade do material utilizado em parte da obra motivaram parte do atraso. Durante a obra foi necessária a substituição de parte do solo e parte do muro de arrimo que não atendia o padrão de qualidade exigido pelo Sesi.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 09/04/2011
Por: Willian Almeida


Envolvida há quase quarenta anos com educação, a professora e diretora de escola Cristiane Donschke de Azevedo, de 60 anos, é uma das profissionais mais respeitadas de Suzano. Filha, sobrinha e esposa de professor, Cristiane assumiu por oito anos a direção de uma das principais instituições de ensino da cidade, a Escola Estadual Professor Geraldo Justiniano de Rezende, e contribuiu para a criação do curso de História na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), onde lecionou por 20 anos.

Em entrevista ao Diário do Alto Tietê, a esposa do também professor, Suami de Paula Azevedo, afirmou que os docentes, hoje, trabalham em condições muito difíceis, “sem segurança e capacitação adequada”, e defendeu um investimento por parte do governo estadual direcionado aos profissionais da área, que hoje são desrespeitados pelos alunos e também pela comunidade.

Ela destacou ainda os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp) referentes à Suzano, que ainda está muito abaixo do ideal. “Houve um recuo significativo em relação ao rendimento em sala de aula. Os índices precisam ser analisados, mas devem ser usados para melhorar o projeto pedagógico. Não adianta só avaliar, ver que está ruim e não tomar nenhuma atitude séria”.

Leia a entrevista completa aqui.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 10/04/2011
Por: Cibelli Marthos

Os alunos da Escola Municipal Vereador Augusto dos Santos, no Parque Ecológico de Itaquaquecetuba, participaram na manhã de ontem do projeto Prevenção e Educação no Trânsito, da Polícia Militar. Os alunos do 2º e 3º anos do ensino fundamental assistiram palestra e participaram de atividades educacionais sobre as leis de trânsito. Segundo um dos orientadores da dinâmica e sargento Edson Roque Lino, do 17º Batalhão da Polícia Militar, toda a rede municipal de ensino deve participar desta iniciativa, que já atendeu 150 crianças e adolescentes neste ano.

O sargento ainda destaca que a atividade tem o propósito de despetar a consciência e o compromisso de todos para o comportamento seguro. “O projeto trabalha conceitos de responsabilidade, a consciência dos educandos para os riscos e as várias situações apresentadas no dia-a-dia, por meio de ações educativas”.

O projeto existe em Itaquá desde 2005 e recebe o apoio das secretarias de Trânsito e Educação. No entanto, foi expandido para Poá, no Reino da Garotada, e para Mogi das Cruzes, no Clube de Aventureiros da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Os educadores que desejam levar a atividade a escolas podem ligar para 4642-7878 e agendar.

Escolinha
A educação no trânsito já acontece na Escolinha Municipal de Trânsito, localizada no Parque Ecológico. A unidade promove atividades educativas no segmento, principalmente para crianças de 1º a 4º série do ensino fundamental, público ou privado.

A referida unidade é a única do Alto Tietê que dispõe de espaço fixo e destinado única e exclusivamente para simular situações reais, a fim de conscientizar sobre a educação no trânsito. Sob orientação de profissionais do ramo, ao participar dos treinamentos, os alunos assistem vídeos, participam de discussões e aprendem um pouco mais sobre a conduta correta de pedestres e motoristas.

Publicado por: Diário do Alto Tietê
Em: 09/04/2011
Por: Natália Ramos

Os alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Suzano estão sem aula. A entidade pretende regularizar até o fim deste mês uma dívida atual de R$ 800 mil com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A primeira paralisação da unidade atinge mais de 140 jovens atendidos pelos serviços pedagógicos da unidade. Caso o problema não seja solucionado durante o prazo estipulado, a suspensão das aulas podem se prolongar ainda mais. Pelo menos foi o que garantiu o presidente da unidade, João Jurandir Simões Júnior, ontem, em reunião com os pais de alunos e funcionários da Apae.

Segundo o presidente, o débito da entidade corresponde ao acumulo de mais de 16 anos. “Precisamos paralisar as atividades pedagógicas para negociarmos o abatimento dos juros e a quebra das multas correspondente à dívida”, explicou. Atualmente a entidade está impossibilitada de firmar qualquer convênio, pois não possui a Certidão Negativa de Débitos (CND).

O problema enfrentado pela Apae pode aumentar ainda mais nos próximos meses. A Secretaria Municipal de Saúde tem convênio firmado com a unidade até o próximo semestre. O contrato garante R$ 7,8 mil mensais, mas sem a CND não será possível realizar a renovação da parceria.

O encontro também teve a participação da ex-administradora da unidade, Wilma Valente Oliveira. Na ocasião ela aproveitou para esclarecer o andamento da dívida durante sua intervenção. “O INSS executou em 1999 a Apae por não ter pagado a parte patronal por dez anos. Mas a Apae não tinha como pagar. Brigamos na Justiça e estamos até hoje buscando solução. Hoje, estamos com um agravo no Tribunal Regional Federal e aguardamos resposta, enquanto isso não acontece a dívida vai aumentando”, apontou Wilma.

A diretoria da Apae decidiu suspender as aulas para tentar estagnar o valor da dívida. “Estou sendo criterioso para não fazer o parcelamento do débito e não honrar depois. Precisamos tornar pagável, pois enquanto a gente não conseguir a renovação dos convênios as atividades estão suspensas”, finalizou Simões Júnior.

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 12/04/2011


Com uma dívida calculada em R$ 800 mil com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Suzano poderá fechar as portas. De acordo com o presidente da entidade, João Jurandir Simões Junior, as atividades ficarão suspensas por 15 dias a partir desta segunda-feira. Neste período, a diretoria tentará negociar a dívida e procurar parceiros para resolver a situação da unidade. Atualmente 180 jovens são atendidos pela Apae.

Segundo Simões, uma série de fatores levou a instituição a acumular uma dívida tão grande nos últimos anos. “Aconteceram uma sequência de fatos. Tem o motivo que levou a Apae até a intervenção, a própria intervenção que não foi bem conduzida nos últimos 16 anos. Quando começou, a divida era pagável, mas agora está em torno de R$ 800 mil”, comentou. “Por isso vamos entrar com algumas ações judiciais para ver se conseguimos um abatimento ou acordo do valor. Nós assumimos a diretoria em janeiro deste ano já com esta situação”.

Nesta segunda-feira a diretoria se reunirá às 10 horas para explicar a situação aos funcionários e usuários da Apae. “Nós estamos com os salários atrasados em dois meses. O convênio que tínhamos com a Prefeitura terminou em 23 de fevereiro e não conseguimos renovar”, revelou Simões. “A legislação determina que para a Prefeitura firmar qualquer convenio, a entidade beneficiada tem que apresentar uma série de documentos, como a certidão negativa de débito com o INSS, mas nós não temos esta documentação, e por isso o convênio não pode ser renovado”.

Questionado sobre as medidas que adotaria para tentar, resolver a situação, o presidente revelou que espera contar com a ajuda da comunidade. “O primeiro passo será negociar a dívida, tentar abater parte do valor e quitar o restante”, afirmou. “Mas nós ainda não sabemos como a dívida chegou a este ponto. Então, se tiver advogados, contadores, pessoas que possam doar seu tempo para nos ajudar seria necessário. Existe um grande risco de termos que fechar as portas, então temos que buscar soluções e responsabilizar os culpados”.

Intervenção
O DS procurou a ex-administradora da Apae, Wilma Valente Oliveira, para solicitar informações, mas ela não retornou às ligações até o fechamento desta edição.Segundo Simões, a diretoria da Apae recebeu ontem assessores do deputado estadual Estevam Galvão (DEM), que teria se comprometido a ajudar. “Ele se propôs a marcar uma audiência com o procurador do INSS e colocou à disposição advogados de sua assessoria. Se mostrou interessado em levantar o total ou parte do dinheiro. Vai fazer uma campanha para solicitar recursos junto ao Lions Clube, Rotary Club e Maçonaria”

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 09/04/2011

A partir deste ano as crianças de Suzano passam a ter a oportunidade de praticar e conhecer melhor o kendô, tradicional arte marcial japonesa desenvolvida a partir dos ensinamentos dos samurais. As aulas são gratuitas e realizadas às segundas, quintas e sextas-feiras no Complexo Poliesportivo Paulo Portela, o Portelão, em diferentes horários.

Este é o primeiro ano em que a administração municipal cria um departamento para representar a modalidade no município. O objetivo da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, que incluiu o kendô nas escolinhas oferecidas por meio do projeto Crianças de Ouro, é o de revelar novos talentos e também promover o resgate da cultura da modalidade, que tem sua origem no país diretamente relacionada com a história de Suzano –aqui se encontra em funcionamento a mais antiga academia brasileira desta arte marcial.

“Temos uma tradição muito grande em Suzano e por isso queremos contribuir para que o kendô seja ainda mais valorizado. Com as escolinhas nós daremos oportunidade para muitas crianças que dificilmente teriam contato com a modalidade e, quem sabe, não revelamos atletas que poderão futuramente até mesmo integrar as associações que representam muito bem a modalidade em nossa cidade”, afirma o secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação, Fausto Pizzolato.

Treinamento
Além de trabalhar a parte motora e o condicionamento físico, como diversas outras modalidades esportivas, o kendô ainda alia questões relacionadas à formação do caráter, com foco na ética, disciplina e respeito. De acordo com o professor Luis Claudio Rocha Guillaumond (sensei 5º dan), a modalidade visa o aprimoramento do corpo, da mente e do espírito, objetivando a harmonia e o equilíbrio das pessoas e dos povos.

“As aulas de kendô, por exemplo, são mais do que trabalhar regras e técnicas desportivas, habilidades físicas e lazer. Configuram-se espaços de aprendizado quanto à postura ética, ao senso de equipe, ao respeito ao adversário e à formação de caráter”, define Guillaumond, que desenvolve o trabalho ao lado da professora Nilva Kyota (sensei 4º dan).

Segundo os responsáveis, o treinamento é constituído em três fases. Inicialmente, o aluno recebe as instruções iniciais, aprendendo a postura, movimentos básicos e as normas disciplinares, sem a necessidade da utilização de trajes específicos. Na segunda fase, o atleta aprende a usar a roupa do kendô, que lhe é cedida, e avança em ensinamentos já com a utilização do shinai (espada de bambu). Na etapa final, a aluno passa para o aprimoramento constante e estará apto a participar dos eventos da modalidade.

Serviço
Os interessados em participar devem procurar a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, que fica na Rua Barão de Jaceguai, 375, no Centro. O atendimento é feito diariamente das 8 às 17 horas. As datas e horários disponíveis são: segundas-feiras, das 9 às 10 horas e das 18h30 às 20h30; quinta-feira, das 15 às 16 horas e sexta-feira, das 18h30 às 21h30.

No ato da inscrição é necessária a entrega de duas fotos 3×4, cópias do RG ou certidão de nascimento e de um comprovante de endereço no nome do pai ou da mãe do aluno, atestado médico de aptidão para atividade física e autorização do responsável pela criança. Podem participar crianças e jovens que tenho entre seis e 16 anos de idade. Mais informações pelo telefone 4746-1886 ou pelo e-mail sme.kendo@gmail.com

Publicado por: Diário de Suzano
Em: 10/04/2011

%d blogueiros gostam disto: